Notícia

Usuários do serviço Mão na Roda reclamam da falta de ônibus

Eles contam que, com frequência, acabam ficando na mão porque os ônibus, que são antigos, quebram e não são substituídos com tanta agilidade

Passageiros do Mão na Roda, serviço de transporte público especial para pessoas que usam cadeiras de rodas, não andam nada satisfeitos com os ônibus. 

Os usuários estão reclamando da qualidade do serviço ofertado. Eles contam que, com frequência, acabam ficando na mão porque os ônibus, que são antigos, quebram e não são substituídos com tanta agilidade. Pelo Mão na Roda, os passageiros cadastrados são buscados em casa e levados para o ponto de destino dentro da Grande Vitória, desde que o serviço seja pré-agendado.

A universitária Ana Clara Nair, de 24 anos, que usa cadeira de rodas para se locomover, é uma dessas usuárias insatisfeitas. "Tive muito problema porque ele marcava e cancelava em cima da hora. Normalmente, estava na escola ou na faculdade e cancelava o carro. Só ficava sabendo depois que tinha passado um tempo da hora dele chegar. Isso porque ou não tinha carro ou porque o carro quebrou", relata a passageira.

 

Outra pessoa que não está gostando muito é a servidora pública Bianca Gabriel Moura. Ela depende do Mão na Roda para levar o pai dela, de 84 anos, para a fisioterapia. Ele parou de andar e de falar depois que sofreu um AVC no ano passado. A filha contou que já teve caso do pai chegar a ir à fisioterapia, mas não ter como voltar para casa pelo Mão na Roda. "Tive que me virar, arranjar um táxi com várias pessoas para pegar papai porque ele é muito grande e colocar ele dentro do carro".

A Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb) admite que há falhas pontuais no transporte especial. O diretor de planejamento do órgão, José Carlos Moreira, disse que dos 25 veículos usados pelo Mão na Roda, 19 serão trocados até o segundo semestre deste ano. O serviço vai ganhar ainda mais um carro. "Estamos atuando em duas frentes: a renovação da frota e melhoria da manutenção. Quando a frota é mais antiga, ela precisa de um plano de manutenção", afirmou o diretor.

José Carlos ainda destacou que, além do Mão na Roda, toda a frota do sistema Transcol é adaptada para receber pessoas que usam cadeira de rodas e, que por isso, o sistema cumpre o que determina a Lei de Acessibilidade.

O serviço é ofertado para as cidades de Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra e Viana. Atualmente, mais de três mil usuários estão cadastrados e fazem uso no sistema na Grande Vitória. Para se cadastrar o usuário precisa entrar em contato com a Ceturb, através do telefone 3232 4500. Os pedidos de viagens devem ser feitos com dois dias de antecedência e na noite anterior é preciso ligar para confirmar a rota. O sistema chega a realizar quase 96 mil viagens por ano, segundo informações da Ceturb. 

Ver comentários