Notícia

Das nove vítimas capixabas de João de Deus, oito crimes prescreveram

Ou seja, o médium poderá responder por apenas um desses nove casos de mulheres do Espírito Santo que relataram abusos

Justiça nega pedido de soltura de João de Deus
Justiça nega pedido de soltura de João de Deus
Foto: Divulgação/TV Brasil

Das nove vítimas do Espírito Santo que denunciaram João de Deus por abuso sexual, oito crimes já prescreveram, segundo informações da força-tarefa do Ministério Público de Goiás, responsável pelas investigações.

Ou seja, o médium poderá responder por apenas um desses nove casos de mulheres do Espírito Santo que relataram abusos. Os casos aconteceram em Abadiânia, Goiás, onde João de Deus mantém um centro espiritual. A prisão do médium completa três meses no próximo sábado.

Os relatos das vítimas dos casos prescritos serão usados pelo Ministério Público para embasar os argumentos para manter o médium preso ou para um pedido de condenação, mas não se transformarão em denúncias porque os fatos ocorreram há mais de 10 anos.

Já o crime não prescrito ainda não foi denunciado e está sendo apurado em um bloco de denúncias em fase de apuração.

Os depoimentos das vítimas capixabas foram colhidos pelo Ministério Público do Espírito Santo e encaminhado para a força-tarefa em Goiás.

Em todo o país, mais de 300 mulheres procuraram o Ministério Público para relatar abusos cometidos por João de Deus. O médium está preso desde o último dia 16 de dezembro. Nessa terça-feira (12), desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) concederam habeas corpus a João de Deus em um dos processos que correm contra ele, mas o médium não será solto porque existem outros mandados de prisão em vigor.

O Ministério Público do Espírito Santo recebe denúncias de abuso através dos e-mails [email protected] e [email protected] A vítima não precisa se identificar.

Ver comentários