Notícia

PIB do ES sofre queda após Brumadinho e menor produção de celulose

PIB do ES: queda no primeiro trimestre
PIB do ES: queda no primeiro trimestre
Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

O rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, em janeiro deste ano e a fusão entre as empresas Fibria e Suzano puxaram o Produto Interno Bruto (PIB) do Espírito Santo para baixo no primeiro trimestre de 2019. O recuo de 1,3% em comparação ao trimestre anterior é consequência do desempenho ruim da indústria geral, que fechou o os três primeiros meses do ano com saldo negativo - o setor sozinho caiu -10,1%.

De acordo com o Instituto Jones dos Santos Neves, a produção industrial apresentou queda em todas as bases de comparação. O desempenho negativo é efeito da tragédia de Brumadinho, que refletiu negativamente na extração e produção de minério de ferro, e à queda na produção de petróleo e gás. Também houve redução na fabricação de celulose, como explicou o diretor-presidente do IJNS, Luiz Paulo Vellozo Lucas.

“Em primeiro lugar é o acidente em Brumadinho, com impacto fortíssimo na indústria extrativa, que impactou negativamente nossa economia e a indústria que puxou negativamente o PIB em 10%. Em segundo lugar houve retração no setor de celulose. Houve uma fusão entre a Suzano e a Fibria, os preços internacionais caíram e isso refletiu em um desempenho muito ruim no setor no primeiro trimestre”.

Luiz Paulo explicou que a economia capixaba, assim como a nacional, passa por um período de estagnação por causa de incertezas diante da expectativa de reformas que ainda não saíram do papel. “No início do ano, as expectativas eram muito melhores do que agora, tinha gente prevendo PIB de 3% e até mais. Hoje todo mundo está falando em menor que 1%. Esse ambiente nacional é o principal vilão”, disse.

Saldo positivo

O Comércio avançou 6,1% no primeiro trimestre de 2019, enquanto o de Serviços apresentou melhora de 1,9%. O setor da Construção Civil também apresentou crescimento de 4,4% no período.

Com esses resultados, a estimativa do PIB nominal do Espírito Santo no primeiro trimestre de 2019, em valores correntes, foi de R$ 29,1 bilhões. Em valores acumulados dos últimos quatro trimestres, o PIB nominal totalizou R$ 121,9 bilhões, maior valor da série histórica.

Panorama Econômico

A Agricultura capixaba, que contribuiu fortemente para o crescimento do PIB em 2018, apresentou menores expectativas na previsão para 2019. Entre os 11 principais produtos da agricultura capixaba, seis têm previsão de elevação da produção para este ano, com destaque para Mamão (+14%), Abacaxi (+9,1%) e Cacau (+7,6%).

Para o café conilon a previsão é de aumento na área plantada e na produção, enquanto que para o arábica, a previsão é de queda, principalmente na produção (-24,8%), devido à bienalidade desta cultura. Também há previsão de queda nas produções de pimenta-do-reino (-0,6%), banana (-3,7%), e tomate (-4%). 

 

 

Ver comentários