Notícia

Advogada de Brasília cai em golpe de estelionatários de Guarapari

Três suspeitos do crime foram presos pelas Polícias Militar e Civil nesta quarta-feira em Guarapari

Dinheiro: advogada cai em golpe
Dinheiro: advogada cai em golpe
Foto: Pixabay

Acreditando que estava comprando um veículo mais barato do que o preço praticado no mercado, uma advogada de 31 anos que mora no Distrito Federal, em Brasília, caiu em um golpe de uma quadrilha de estelionatários com integrantes em Guarapari.

Suspeitos de integrar o bando, foram presos nesta quarta-feira (09) o mecânico Vinicius Inocêncio da Silva Júnior, 29 anos, a namorada dele Caroline Pires Alves, 20, que está grávida, e o comparsa Hipólito Luiz Pinto Ribeiro, 43 anos.

O titular da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Guarapari, delegado Guilherme Eugênio, explicou que a advogada viu na internet o anúncio de venda de um veículo Hyundai HB 20 1.0, ano 2016, por R$ 33 mil. No mercado, o carro está avaliado, em média, por R$ 37.500.

"O estelionatário replicou um anúncio real e reduziu o valor. A advogada acreditou na proposta e depositou R$ 27 mil na conta indicada pelo criminoso, que neste caso, era a conta da Caroline. Quando foi buscar o carro, notou que tinha sido enganada e procurou a agência do mesmo banco onde tinha feito o depósito", disse o delegado.

Com o registro da ocorrência policial, a agência bancária do Distrito Federal e os funcionários perceberam que Caroline e Vinicius estavam efetuando um saque no mesmo momento em que ela solicitava o bloqueio administrativo da conta.

“O banco acionou a Polícia Militar que conduziu o casal à delegacia. Interrogado, na presença de um advogado, Vinicius decidiu dizer a verdade e revelou que havia negociado com estelionatários o uso da conta de sua namorada em troca de 15% do valor que lá fosse movimentado”, explicou o Eugênio.

Segundo o delegado, durante o interrogatório, Vinicius recebeu diversas ligações dos comparsas. Os estelionatários exigiam que o mecânico e a namorada depositassem R$ 22.950 na conta deles, conforme combinado antes do pagamento da advogada.

“Vinicius aceitou então levar a polícia a outros integrantes da quadrilha, designando um encontro com eles, através de vídeo chamadas nas quais várias armas foram exibidas a ele. Eles mandaram o Hipólito. Esse encontro ocorreu em uma galeria comercial de Guarapari e foi supervisionado pelas Polícias Civil e Militar.”

INVESTIGAÇÃO

Com a prisão dos suspeitos, a polícia recuperou R$ 23.791,76. O trio foi autuado em flagrante por formação de organização criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro. O titular do Deic afirmou que investiga a identificação de demais criminosos da quadrilha. Os bandidos atuam em Guarapari e demais regiões do País.

“Vinicius e Caroline contraíram uma dívida de R$ 4 mil com um agiota de Guarapari, mas não puderam pagar. Como alternativa, aceitaram a proposta de emprestar a conta à quadrilha para quitar a dívida. As investigações apontam que em Guarapari há um estelionatário que recruta contas bancárias.”

De acordo com o delegado, policiais de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais já solicitaram apoio em investigações que apuram a ação de estelionatários que agem através do golpe do falso anúncio de veículos e imóveis.

Ver comentários