Notícia

Polícia investiga morte de jovem e internação de mais onze em rave

Frequentadores foram internados no Hospital Antônio Bezerra de Faria, em Vila Velha, e também em hospitais particulares da Grande Vitória

Hospital Antônio Bezerra de Faria
Hospital Antônio Bezerra de Faria
Foto: Vitor Jubini

A Polícia Civil investiga uma suposta morte de um jovem e a internação médica de pelo menos 11 pessoas após o uso de drogas durante uma festa rave promovida em Guarapari no último dia 12. Os jovens foram internados no Hospital Antônio Bezerra de Faria, em Vila Velha, e também em hospitais particulares da Grande Vitória.

A informação inicial de que um frequentador teria morrido após o uso de drogas na festa foi dada ao titular do Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc), delegado Fabrício Dutra, no hospital Antônio Bezerra. A polícia apura o caso para confirmar a morte e quantidade total de pessoas internadas.

Acompanhada do titular do Denarc, uma equipe de investigadores está no hospital Antonio Bezerra na manhã desta sexta-feira (18).

De acordo com a polícia, um estudante de engenharia está internado em estado grave na unidade pública de Vila Velha.

"É UMA DROGA MUITO FORTE, MUITO PODEROSA", DIZ DELEGADO

Em entrevista à reportagem de A Gazeta, o delegado Fabrício Dutra afirmou que a polícia foi acionada para fazer um levantamento inicial e também as investigações do que ocorreu nessa festa, onde inicialmente 12 jovens ficaram intoxicados com uso de uma substância entorpecente nova.

Segundo o delegado, a polícia irá identificar quem são os jovens intoxicados. "Agora nós vamos identificar todos, verificar todas as informações. O fato, de imediato, para que a gente possa nas investigações identificar quem autorizou essa festa, quem realizou essa festa, qual traficante operou nessa festa, para que as investigações cheguem ao bom termo e a gente possa imediatamente tirar essa droga de circulação".

SUBSTÂNCIA À BASE DE GEL

"A informação inicial é que foi uma substância à base de gel. As informações iniciais são de que se trata de uma droga de origem mexicana. Vamos trabalhar agora, toda equipe já está mobilizada. O mais importante agora é saber o estado de todas essas pessoas. É uma droga muito forte, muito poderosa, e agora acompanhar o desenrolar das investigações, para que a gente possa em curto prazo realizar todo procedimento necessário", disse o delegado.

"O RIM DELE PAROU NA HORA QUE USOU", DIZ MÃE DE UNIVERSITÁRIO

A mãe de um dos jovens intoxicados após uso de drogas em uma rave em Guarapari no último fim de semana, conversou com a reportagem de A Gazeta no Hospital Antônio Bezerra de Faria, em Vila Velha, na manhã desta sexta-feira (18). O filho dela, um universitário de 24 anos, está em estado grave na UTI na unidade de saúde.

Ver comentários