Notícia

Marinha envia 85 militares a base de São Mateus para combater óleo

Ao todo, 75 fuzileiros navais do Rio de Janeiro, além de cinco militares da Capitania dos Portos e cinco da Escola de Aprendizes de Marinheiros do Espírito Santo, já estão no município. Prefeitura monta base para servir de apoio em Guriri

Caminhões da Marinha chegam a São Mateus
Caminhões da Marinha chegam a São Mateus
Foto: Divulgação/Prefeitura de São Mateus

A Marinha do Brasil enviou 85 militares a São Mateus, Região Norte do Estado, para atuar no monitoramento e retirada das manchas de óleo, caso elas atinjam o litoral capixaba. Os últimos vestígios da substância, que castigou diversas praias do Nordeste do país, foram encontrados no Sul da Bahia.

Segundo a Prefeitura de São Mateus, são 75 fuzileiros navais do Destacamento Operativo de Fuzileiros, do Rio de Janeiro, e mais 10 militares envolvidos na organização dos trabalhos – cinco da Capitania dos Portos do Espírito Santo e cinco da Escola de Aprendizes de Marinheiros do Estado.

CARÁTER PREVENTIVO

O Gabinete Gestor de Crises, da Marinha, informou que o envio da tropa é em caráter preventivo e tem o objetivo de facilitar a atuação do Grupo de Acompanhamento e Avaliação, que também é composto pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), caso as manchas de óleo cheguem ao Espírito Santo. Os marinheiros estão acampados na sede do Motoclube Águias do Norte, em Guriri.

Uma base é montada no balneário para servir como apoio das equipes que atuam no monitoramento da possível chegada da substância nas praias do Norte do Estado. Além disso, o espaço será usado por equipes que vão atuar em uma eventual operação de limpeza das praias.

Ver comentários