Notícia

Vitória não tem data para câmeras que vão flagrar avanço de semáforo

A Prefeitura de Vitória anunciou, em junho do ano passado, que instalaria câmeras para flagrar avanço de semáforo em avenidas da Capital. No entanto, município afirmou que vai definir como será a instalação só ano que vem, sem estimar data para isso

Avenida Dante Michelini, sentido Jardim Camburi, em Vitória, onde major da PM se envolveu e acidente e fugiu do local
Avenida Dante Michelini, sentido Jardim Camburi, em Vitória, onde major da PM se envolveu e acidente e fugiu do local
Foto: Fernando Madeira | GZ

Um ano e cinco meses após a Prefeitura de Vitória (PMV) anunciar câmeras que vão flagrar motoristas que avançarem o sinal vermelho nas avenidas Dante Michelini e Fernando Ferrari, a administração municipal informou ainda não ter data para a instalação dos equipamentos. Por nota, a prefeitura informou que vai definir no primeiro semestre do ano que vem a quantidade de equipamentos e os pontos de instalação, sem precisar quando estariam instaladas e funcionando.

Em junho de 2018, o então secretário de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória, Tyago Hoffmann, afirmou que a instalação dos equipamentos já havia começado, mas que não havia previsão para que as multas começassem a ser aplicadas.

Um ano e quatro meses depois, após grave acidente que matou dois jovens e deixou outros dois feridos na Avenida Dante Michelini, – uma das que receberiam câmera contra avanço de semáforo – a reportagem de A Gazeta demandou a prefeitura para saber quando os equipamentos começariam a funcionar. Por nota, a prefeitura informou, em sua resposta, que "pretende definir, já no primeiro semestre de 2020 a estratégia, como a quantidade de equipamentos e quais os pontos a serem instalados".

COMO FUNCIONARIAM OS EQUIPAMENTOS?

As câmeras funcionariam com sensores junto aos semáforos para fotografar os veículos que avançarem o sinal vermelho. De acordo com dados da Secretaria de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória (Setran), os agentes municipais de trânsito lavraram 4.406 autos de infração por avanço de sinal em 2017. Em 2018, até o dia 24 de maio, foram 1.350 ocorrências.

A Setran informou, na ocasião, que ninguém seria multado inicialmente. Os equipamentos seriam colocados apenas em caráter educativo para fazer com que os motoristas respeitem a sinalização.

ONDE AS CÂMERAS SERIAM INSTALADAS?

A Setran informou, em 2018, que na Avenida Dante Michelini as câmeras seriam instaladas nos semáforos dos entroncamentos com a Rua Comissário Otávio de Queiroz e com a Avenida Aristóbulo Barbosa Leão, ambas na altura de Jardim da Penha. Na Avenida Fernando Ferrari, os equipamentos estavam previstos para funcionar no semáforo em frente à Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), na saída de Jardim da Penha pela Rua da Lama.

QUAL A MOTIVAÇÃO PARA AS CÂMERAS?

Na ocasião, a prefeitura informou que o motivo para a instalação das câmeras era o risco de atropelamentos nesses pontos das avenidas. "A partir do mapa de identificação de atropelamentos na cidade, nós identificamos que esses casos se dão, em especial, em faixas de pedestres, por mais que pareça contraditório. Esses pontos são locais onde nós temos ocorrências de acidentes de atropelamentos por avanço de semáforo, até com vítimas fatais”, disse o então titular da Setran, na ocasião.

E POR QUE AS CÂMERAS AINDA NÃO ESTÃO FUNCIONANDO?

Procurada para explicar como está a situação das câmeras, a Prefeitura e Vitória informou, por nota, que está aguardando os dados de 2019 para saber se houve ou não redução de acidentes.

“Houve redução de 21 para 14 acidentes de trânsito com óbitos nas cinco avenidas da cidade, onde houve registro de mais acidentes entre 2017 e 2018. Uma redução de 33%. A PMV informa que vem realizando diversas ações de educação para o trânsito. Um exemplo é a Linha Verde, que trouxe nova conscientização que tem se espalhado para outras avenidas. Tudo isso será avaliado com os dados de 2019, para decidir novas medidas”.

A nota completa que “com esses dados a PMV pretende definir, já no primeiro semestre de 2020 a estratégia, como a quantidade de equipamentos e quais os pontos a serem instalados. Os dados de 2017, 2018 e 2019 irão nortear a gestão”.

Indagada se alguma câmera já havia sido instalada, onde, e o valor desse investimento, a assessoria da prefeitura afirmou que o órgão está adquirindo os equipamentos, sem passar mais detalhes.

PREFEITURA DIZ QUE FAZ AÇÕES PARA EDUCAÇÃO DO TRÂNSITO

O primeiro contato da reportagem com a Prefeitura solicitando explicações sobre a instalação das câmeras foi feito em 1 de novembro de 2019. Na ocasião, a Prefeitura enviou uma nota falando sobre o assunto. De lá para cá, outros contatos foram feitos na tentativa de saber mais sobre como está a situação das câmeras.

“Todos os estudos relacionados à mobilidade urbana em Vitória fazem parte de um contexto. Por exemplo, a PMV implantou os projetos de Bairro de Velocidade Segura (30 Km/h); a Linha Verde; a Onda Verde; os semáforos inteligentes e várias ações educativas durante todo o ano. A câmera em semáforos também faz parte desse estudo e não está decidido ainda, pois a grande maioria dos motoristas e motociclistas está seguindo as normas”, afirmou a nota.

A PMV informou, ainda, que vem realizando diversas ações de educação para o trânsito, como: abordagens educativas de motoristas, ciclistas e motociclistas para respeito as regras de trânsito; abordagens junto a população frequentadora de bares e praias para efetuar o teste voluntário do bafômetro; e oficinas de sensibilização em empresas, universidades, etc., orientando para os principais fatores de acidentes de trânsito.

Outras ações citadas pelo órgão foram assessoria a projetos de educação para o trânsito desenvolvidos em escolas; eventos em praças e parques; campanhas com Maio Amarelo e a Semana Nacional do Trânsito; re-pinturas de faixas, reforço de sinalização em toda cidade; fiscalização pela Guarda Municipal; fiscalização por videomonitoramento; e bairro de Velocidade Segura (30 Km/h).

Ver comentários