Notícia

Polícia abre investigação para apurar acidente com fogos em quiosque

O dono do Quiosque do Vitalino nega que o estabelecimento seja o responsável pela queima de fogos, mas a Prefeitura de Vila Velha interditou o local na manhã desta quinta-feira (2)

A Polícia Civil abriu uma investigação contra o Quiosque do Vitalino, na Praia de Itaparica, após a queima de fogos irregular, que deixou oito pessoas feridas no réveillon.

O dono do estabelecimento, Bruno Vitalino, nega que o estabelecimento seja o responsável pela queima, mas a Prefeitura de Vila Velha interditou o estabelecimento na manhã desta quinta-feira (02).

>Prefeitura interdita quiosque após acidente com fogos em Vila Velha

>Explosão de fogos em Itaparica: idosa e criança entre os feridos

Segundo a Polícia Civil, o caso está sob investigação no 7º Distrito Policial, em Santa Inês. Investigadores coletam provas e depoimentos que podem ajudar a desvendar o que aconteceu e responsabilizar os culpados.

Pouco depois da explosão, o irmão de Vitalino se apresentou como responsável pela festa e foi levado pela Polícia Militar até o Delegacia Regional de Vila Velha, onde prestou esclarecimentos. Ele foi liberado pelo delegado de plantão.

A Polícia Civil pedem que os feridos registrem a ocorrência em qualquer delegacia, preferencialmente no 7° Distrito Policial, com material que auxilie o trabalho de investigação. "Os registros são importantes e todos os casos são investigados", destacou a Polícia Civil, em nota enviada para A Gazeta.

O dono do estabelecimento, Bruno Vitalino, negou mais uma vez, em entrevista para A Gazeta, que o quiosque teria sido responsável pela montagem dos fogos. "É mentira. Estou indo para a Prefeitura agora. Eles vão ter que provar que fui eu que fiz a queima de fogos. Tenho vídeos do evento, tenho vídeos da queima de fogos que mostram isso", afirmou Vitalino. A reportagem pediu ao dono do quiosque para ver os vídeos, o que foi negado por Vitalino.

Ver comentários