Notícia

Uma vitrine para jovens talentos de todo o Brasil

Competição nacional reúne em Vitória os melhores participantes em seis diferentes ocupações voltadas ao comércio

Imagine você com apenas 23 anos, maitre de um dos mais respeitados cerimoniais da cidade e referência no setor mesmo ainda jovem. Essa é a realidade de Pedro Henrique Moreira Rosa. Trabalhando como garçom desde a adolescência, ele procurou por qualificação especializada na área, expandiu sua atuação e, atualmente, já repassa os conhecimentos acumulados a quem se interessa pela profissão.

Eu já trabalhava como garçom. Fiz uma viagem pelo Brasil anos atrás em busca de novas referências, visto que aqui no Espírito Santo ainda estávamos um pouco atrás na qualidade do atendimento ao cliente. Quando retornei, procurei o Senac para me qualificar, pois gostava de trabalhar nessa área e tenho facilidade para lidar com o público em geral. Fiz o curso de garçom e logo depois já emendei no de barman. Entre esses dois, meu instrutor me convidou para participar da competição do Senac por conta do meu perfil e da maneira com que atuava. Venci e representei, em 2016, o Estado na competição nacional
Pedro Henrique

A oportunidade que Pedro Henrique teve de mostrar as habilidades como garçom será a mesma que competidores de 20 Estados terão entre os dias 20 e 23 de novembro, nas Competições Senac de Educação Profissional, no Hotel Senac, na Ilha do Boi, em Vitória. O evento, aliás, não se restringe ao trabalho de garçom, outras cinco ocupações também estão inclusas nas atividades, como explica a coordenadora técnica das competições, Dianimer Azevedo.

"São seis áreas em competição: Cabeleireiro, Cozinha, Cuidados de Saúde e Apoio Social (técnico em enfermagem), Serviço de Restaurante (garçom), Estética e Bem-estar e Florista. Cada Estado selecionou um competidor para cada uma dessas ocupações, obedecendo a alguns critérios. O primeiro deles é a idade, os competidores precisam ter de 18 a 21 anos. Essa seleção é feita por avaliações teóricas e práticas que consideram as habilidades e conhecimentos adquiridos pelos alunos em curso. Os selecionados chegam à competição em nível de excelência, devido a dedicação ao processo de treinamento das práticas desenvolvidas em sala de aula através do Modelo Pedagógico adotado pelo Senac que prioriza o aprimoramento de competências necessárias à atuação profissional dos alunos em formação”, explica.

Ester Reis Almeida é competidora capixaba deste ano, na ocupação Cuidados de Saúde e Apoio Social
Ester Reis Almeida é competidora capixaba deste ano, na ocupação Cuidados de Saúde e Apoio Social
Foto: Ester

Fidelidade à realidade

Se a intenção é formar um profissional de alto nível, nada melhor do que a competição ser fiel à realidade com que os participantes irão se deparar no mercado de trabalho. Todas as provas representam o cotidiano das ocupações. "As provas são realizadas em situações reais de trabalho. Por exemplo, em Cuidados de Saúde e Apoio Social, serão disponibilizados ambientes hospitalares que replicam na íntegra hospitais e ambulatórios, o Senac contrata atores que simulam situações de doenças ou acidentes que requerem cuidados de um Técnico em Enfermagem, entre outras atividades. Esse competidor terá de realizar os atendimentos específicos para cada situação, tudo isso sendo observado pelos avaliadores e dentro de um tempo cronometrado. Serão montados 13 mini salões de beleza, aparelhamos seis cozinhas completas, uma sala de estética e um restaurantes com quatro ambientes nos quais um garçom atuará, nas diversas situações de serviço de restaurante. É uma competição enriquecedora", complementa a coordenadora técnica do Senac.

Um bom exemplo disso é o caso da esteticista Jaline Chagas Rigotti, de 25 anos. Hoje, dona da própria clínica de estética, em Alfredo Chaves, ela passou pelo curso e também pela competição, antes de abrir o próprio negócio em 2015. "Eu era só uma estudante do curso de Estética, em Vitória, mas por conta do meu desempenho recebi o convite para participar da competição nacional em Belo Horizonte. Ali aprendi a importância de tratar o cliente com atenção e valorizar nossa profissão. A competitividade que presenciei é a mesma do dia a dia. A partir desse momento, mergulhei de cabeça nesse segmento e hoje levo minha

vida através da profissão de esteticista. Sigo me qualificando, tenho minha própria clínica e ofereço diversos serviços", conta.

Além de colocar os alunos em nível competitivo, o evento também serve como um facilitador para os jovens indecisos em relação ao futuro profissional. "Ele é aberto ao público e já temos visitações pré-agendadas com escolas de ensino médio. Convidamos esses estudantes para presenciar essa experiência, pois eles estão se aproximando do momento da escolha do que seguir na carreira. Essa sempre é uma fase complicada. Ver o profissional atuando ajuda nesse processo", salienta Dianimer.

Larissa Botelho é competidora capixaba deste ano, na ocupação Estética e Bem-Estar
Larissa Botelho é competidora capixaba deste ano, na ocupação Estética e Bem-Estar
Foto: Senac

Mercado de trabalho

Por ter um nível de competitividade elevado, os participantes saem em vantagem na busca pelo emprego. A preparação que recebem do Senac faz com que muitos se interessem por eles. Essa situação é bastante comum, como conta a coordenadora técnica do Senac-ES. Podemos dizer que os competidores já saem com o emprego garantido, já que eles estão em evidência. Podem ser contratados diretamente pela própria instituição, abrir o próprio negócio, e até mesmo chegar a uma vaga em um salão ou restaurante, por exemplo, pois muita gente acompanha a competição com esse intuito."

Isso, aliás, foi o que ocorreu com cabeleireira Ranielli Cristine Vila Real Rocha, de 27 anos. Hoje instrutora do curso de Cabeleireiro do Senac-ES, ela teve a vida transformada após passar pela experiência competitiva. "Entrar no Senac e poder participar dessa competição foi um divisor de águas em minha vida. Hoje sou instrutora do curso de Cabeleireiro do Senac e ensino essa profissão. Além disso, atuo como freelancer paralelamente às aulas. Tenho uma clientela de aproximadamente 100 clientes fixos, trabalhando com cortes, penteados e afins. Esse curso ainda me deu a oportunidade de ingressar na faculdade de Moda e hoje já consigo aliar as duas coisas. Sou muito realizada profissionalmente e poder seguir colaborando é muito gratificante", disse.

Os primeiros colocados em cada ocupação ainda poderão concorrer à vaga de representante brasileiro na WorldSkills de 2019 - Competição de Educação Profissional nível internacional. Os 20 Estados participantes são: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina e Sergipe.

Competidoras capixabas

Os exemplos de sucesso dos competidores de edições passadas são espelhos para duas duas jovens que representarão o Senac-ES na competição. Para Larissa Botelho Natali, de 21 anos, e que compete em Estética e Bem-estar, agora é a hora de colocar em prática tudo o que foi aprendido em meses de aprendizado e treinamento.

Larissa Botelho é competidora capixaba deste ano, na ocupação Estética e Bem-Estar
Larissa Botelho é competidora capixaba deste ano, na ocupação Estética e Bem-Estar
Foto: Senac

"Fui selecionada entre as quatro alunas pré-escolhidas. Desde fevereiro estou em preparação para representar o Senac-ES na competição nacional. O processo até aqui por si só já foi muito enriquecedor, aprendi e me capacitei muito. Já sou uma profissional muito diferente do que eu era antes de iniciar esse processo. Acredito que encontrarei pessoas tão bem preparadas, mas quero esse ouro, afinal estou competindo em casa", conta a empolgada competidora.

Sentimento semelhante passa a competidora Ester Reis Almeida, de 20 anos. Participante em Cuidado de Saúde e Apoio Social, ela não vê a hora de pôr em prática o que aprendeu no período de preparação.

"Disputei com uma outra aluna e fui a escolhida após a seleção feita pelos professores e também através de provas específicas. Tenho certeza que o nível competitivo será bem alto, por isso mesmo estou diariamente em treinamento e também estudando para fazer bonito e estar no mesmo nível. Sem contar no intercâmbio com pessoas da área, isso certamente agregará valor ao meu currículo e poderá futuramente me abrir portas", detalha Ester.

Os primeiros colocados em cada ocupação ainda poderão concorrer à vaga de representante brasileiro na WorldSkills de 2019 - Competição de Educação Profissional nível internacional. Os 20 Estados participantes são: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina e Sergipe.

 

 

Competições Senac de Educação Profissional

Local: Hotel Senac Ilha do Boi

Cidade: Vitória

Data: de 20 a 23 de novembro

Entrada: franca

Horário: das 8 às 17 horas

 

 

Ver comentários