Notícia

Cristãos Unidos em Família para fortalecer a fé

Mais de 2 mil fiés da Igreja Cristã Maranata se reúnem para palestras e reflexões

Durante quatro dias a sede do Manaain, em Domingos Martins, recebeu mais de duas mil pessoas que tiveram a chance de reafirmar a sua fé em Cristo, além de participarem de cursos e palestras com ensinamentos espirituais, oficinas de música, Língua Brasileira de Sinais (Libras) e plantio de espécies da Mata Atlântica.

O evento é promovido pela direção da Igreja Cristã Maranata e, esse ano, foi transmitido em tempo real para outras unidades da igreja no Brasil utilizando um moderno sistema de satélite e equipamento digital de última geração.

Foto: Divulgação

Durante a estadia na sede do Manaain, crianças, jovens e adultos de diversas partes do país e do mundo puderam sentir a força da palavra de Deus, que foi minuciosamente interpretada pelo fundador e presidente da Maranata, pastor Gedelti Gueiros.  

Em uma dessas aulas ministradas por ele, o tema não poderia ser mais atual: a comunhão com Deus, através do Espírito Santo, uma premissa básica de Cristo para que os homens possam se entender e partilhar a palavra de Deus.

Foto: Divulgação

 

“Não há fé plena sem comunhão, sem partilha, sem a busca do bem-estar do nosso irmão. Cristo ensinou a comunhão e cabe a nós fazer com que seu ensinamento seja pleno do amor de Deus. Só assim vamos parar de matar uns aos outros e acolher nosso próximo que sofre”, afirmou Gedelti.

Com auditório sempre lotado, os fiéis cantaram e louvaram a presença de Deus em seus corações, um verdadeiro testemunho de fé e renovação das práticas cristãs preconizadas pela Maranata.

Crianças e adolescentes

O pastor também reforçou o papel da educação, da criança e da família para criar um futuro melhor, sem tantas mortes entre jovens e adolescentes. “As famílias têm que se unir para educar as crianças tanto no campo espiritual; quanto no material. Porque tudo o que o governo pode fazer é construir mais cadeias e cemitérios.”

Quem mais se divertiu foram as crianças e os adolescentes. A garotada participou ativamente de oficinas diversas ao ar livre. Eles puderam plantar espécies nativas da Mata Atlântica no local.

Foto: Divulgação

Durante o plantio, todos ouviram orientações do engenheiro agrônomo João Luis Lani sobre a importância das árvores e dos animais para a manutenção da vida na terra, mais um exemplo prático sobre a comunhão entre os seres vivos do nosso planeta.

“Não há vida sem floresta. O homem precisa aprender a conviver com a natureza sem agredi-la. Então focamos na base, que são as crianças. Hoje, já percebemos a mudança de comportamento desses jovens depois que saem daqui. Tornam-se multiplicadores e ensinam até mesmo os pais a preservar os recursos naturais, como a água”, revela Lani.

Foi exatamente o que afirmaram as jovens Talita Pereira, de 12 anos, e Julia Martins, de 13, ambas do Rio de Janeiro. Para elas, o Seminário Unidos em Família foi um divisor de águas. “Sabíamos da importância da água e da natureza, mas ouvir isso de um especialista que comunga das mesmas aspirações de fé que as nossas, nos ajuda a ter mais convicção de que a preservação é o caminho.”

Em outra oficina ao ar livre, jovens entre 3 e 15 anos interagiram com soldados do Corpo de Bombeiros. Atentos às explicações, alguns se ofereceram como voluntários na simulação de primeiros socorros e vibraram com as noções de contenção de incêndios.

Para o Sargento Elias Teodoro, com mais de 20 anos de experiência nos Bombeiros, esse momento de contato com as crianças é fundamental na formação do cidadão. “Eles saem daqui como multiplicadores do que aprendem. Ensinam na escola e até ajudam a salvar vidas com dicas simples que são fundamentais antes da chegada do socorro em caso de acidentes”, afirma.

Foto: Divulgação

As oficinas de Língua de Sinais e de música também foram bastante concorridas. Todos queriam aprender a conversar com as mãos e vencer barreiras que impedem o diálogo direto com quem tem alguma deficiência auditiva.

Já na música, o dom de cada um apareceu de forma espontânea. Meninos e meninas tocaram violino, violão, pandeiro e flauta. Jovens talentos que têm uma vida inteira de adoração e aprendizado pela frente.

 

Ver comentários