Notícia

Respeito à natureza e fé andam juntos na Maranata

Preservação da natureza é prioridade para a Igreja Maranata

O primeiro centro de estudos da doutrina Cristã Maranata do Brasil foi implantado em Domingos Martins, na década de 70. De lá pra cá, 59 novos Maanains foram inaugurados em todo o país, sempre com a proposta de harmonizar os ensinamentos da palavra de Deus com o respeito à natureza.

Aqui no Estado, as ações de sustentabilidade chegaram ao tratamento da água que é consumida no Maanain local, modificando completamente a relação dos fiéis com a produção e o consumo desse líquido essencial à vida.

 Igreja Cristã Maranata
Igreja Cristã Maranata
Foto: Secundo Rezende

O Maanain de Domingos Martins conta com 52,1 alqueires, 200 mil m² de área pavimentada e uma área construída de mais de 30 mil m². Tudo para congregar até quatro mil pessoas por seminário, quinzenalmente. Atualmente, o consumo de água do Maanaim está em 180 litros habitante/dia, o que corresponde a quase 700 mil litros por dia de água potável, considerando uma média de 3,5 mil pessoas por evento.

Diante desse consumo e da alta demanda por água para lavar as áreas sociais, banheiros e regar as plantas, a direção da Igreja Maranata no Estado convocou fiéis com formação em engenharia, agronomia, arquitetura, química e física para ajudar no projeto de uma estação de tratamento de água dentro do Maanain. A ideia deu tão certo que foram abertas listas de espera de profissionais que queriam ajudar na elaboração e implantação do projeto.

Hoje, a estação de tratamento de água de reúso, com capacidade para tratar seis litros de esgoto por segundo, transforma o efluente em água em condições de ser reutilizada. Todo o processo é feito através da Estação de Tratamento de Água do Maanaim do Domingos Martins. O resultado não poderia ser melhor: 80% de toda a água são reaproveitados para o uso em descargas de banheiro, limpeza de espaços comuns, rega de plantas e jardins.

Estacao de tratamento do Manaaim trata 6 litros de esgoto por segundo. A agua e reutilizada em descargas e na limpeza no local
Estacao de tratamento do Manaaim trata 6 litros de esgoto por segundo. A agua e reutilizada em descargas e na limpeza no local
Foto: Guilherme Ferrari

Para o engenheiro químico Edson Guimarães de Souza, a estação de tratamento do Maanain serve de exemplo para as demais propriedades rurais que sofrem com o desperdício de água. “Com boa vontade, é possível diminuir o lançamento de esgoto in natura nos rios e reaproveitar a água sem agredir o meio no qual estamos inseridos. Aqui podemos dizer que água recebe o cuidado que merece”, comemora.

E não para por aí. Como os seminários realizados pela Maranata reúnem famílias inteiras, jovens e adolescentes são convidados a entender o processo de tratamento e filtragem da água, tudo acompanhado por técnicos que explicam cada processo.

Para o brasiliense Luiz Clauberti, que participou do Seminário Unidos em Família no Maanain, com a mulher e os dois filhos, a sustentabilidade é uma verdadeira escola a céu aberto.“Estamos aprendendo sobre a importância da preservação da água, da cobertura da mata ciliar ao longo dos rios e todo o processo de purificação do recurso. Isso nos motiva a multiplicar esse conhecimento e a ensinar aos demais que é possível e até fácil preservar”, comemora.

Plantio

E há mais ações de preservação e conscientização. Com a ajuda do doutor em agronomia José Luiz Lani, a direção da Igreja Cristã Maranata promove palestras práticas sobre a preservação da Mata Atlântica. Durante os seminários, os alunos são convidados a aprender sobre as espécies da floresta e a sua diversidade, além da importância de cada uma delas para gerar água, sombra e alimento para o homem.

Para tornar a experiência ainda mais real, cada integrante dos grupos ganha uma muda de espécie nativa para o plantio ali mesmo, na área verde do Maanain. “É sensacional porque esses meninos e meninas saem daqui com uma outra visão sobre o meio ambiente e a relação deles com Deus, a natureza e o seu próximo. Conseguem entender que a comunhão é o fator primordial para a existência na Terra”, avalia Lani.

Foto: Guilherme Ferrari

Energia limpa

Outro investimento da Igreja Cristã Maranata é na produção de energia limpa. A instituição possui painéis fotovoltaicos para captação de energia solar instalados em cinco templos: na Praia da Costa, Vila Velha; Jardim Camburi, Vitória; e em cidades do Pará e Minas Gerais. Para se ter uma ideia, os painéis implantados em uma igreja em Marabá, no Pará, geram, anualmente, 29.838 Kwh. Esta quantidade garante de 50% a 80% de economia na conta de energia.

 

 

Além disso, estão em fase de implantação no Maanaim de Carapina, na Serra, painéis que vão abastecer cerca de 100 igrejas da denominação. Segundo a Gerência de Construção da ICM, a energia solar, captada pela Maranata desde 2011, apresenta inúmeras vantagens se comparada a outras fontes: é renovável, abundante e não causa danos à natureza. A instituição investe na tecnologia porque considera importante para o controle do meio ambiente.

A Maranata possui painéis fotovoltaicos para captação de energia solar instalados em cinco templos: na Praia da Costa, Vila Velha; Jardim Camburi, Vitória; e em cidades do Pará e Minas Gerais.
A Maranata possui painéis fotovoltaicos para captação de energia solar instalados em cinco templos: na Praia da Costa, Vila Velha; Jardim Camburi, Vitória; e em cidades do Pará e Minas Gerais.
Foto: Secundo Rezende

Ver comentários