Confira 10 bandas capixabas que marcaram época

O Espírito Santo tem música autoral de qualidade com destaque nacional, internacional e até interplanetária! E em seus 90 anos de existência, a Rede Gazeta sempre promoveu a cultura capixaba

Publicado em 29/08/2018 às 12h29

Atualizado em 29/08/2018 às 16h00

especial

O Espírito Santo tem música autoral de qualidade há tempos, inclusive com destaque nacional, internacional e até interplanetária! E em seus 90 anos de existência, a Rede Gazeta sempre promoveu a cultura capixaba. Fizemos uma seleção cronológica de 10 bandas capixabas que marcaram época.

E nesta quarta-feira (29) estreia mais um espaço para valorizar a produção autoral local: o “Divirta-se Live Sessions”. O novo programa multiplataforma da Rede Gazeta, vai começar às 20h, no Facebook do Gazeta Online.

Solveris, Sunrise Blues Band, Gavi, Cainã e a Vizinhança do Espelho e Amanita Flying Machine são as bandas que participam da primeira temporada do programa.

Idealizado e dirigido pelo editor da TV Gazeta Antonio Cezar Martins Filho e apresentado por Rafael Braz, editor do C2, o programa integra o movimento “Somos Capixabas”, parte da comemoração do aniversário de 90 anos da Rede Gazeta, e vai ao ar todas as quartas.

Confira agora a seleção das bandas históricas:

1) OS MAMÍFEROS

Data: 06/06/2011 - Grupo Os Mamíferos no II Festival Capixaba de MPB (Música Popular Brasileira), 1969 - Editoria: Cultura - Foto: Milson Henriques - Jornal A Gazeta - CULTURA - Música
Foto:Milson Henriques
Data: 06/06/2011 - Grupo Os Mamíferos no II Festival Capixaba de MPB (Música Popular Brasileira), 1969 - Editoria: Cultura - Foto: Milson Henriques - Jornal A Gazeta - CULTURA - Música

Marcou a contracultura no Estado, nos anos 60 e 70, sendo o primeiro grupo de rock do Espírito Santo a construir de fato uma produção autoral com letras poéticas e provocativas, visual ousado e uma base sonora ampla, com pegadas de blues, rock, jazz e boleros. Em 2016 a banda completou 50 anos e, entre as homenagens, foi lançado o livro "Os Mamíferos - crônica biográfica de uma banda insular”, escrito por Francisco Grijó.

“Agite antes de usar”, de Aprígio Lyrio, Mário Ruy e Sérgio Régis, rendeu o primeiro lugar ao grupo no lII Festival Capixaba de Música Popular Brasileira, no Ginásio do Sesc, e o troféu de melhor intérprete masculino a Aprígio. A verve roqueira da composição e do arranjo proporcionou a cama sonora ideal para o vocalista usar e abusar de seu potencial cênico, exibindo os cabelos cacheados, a calça boca de sino escura e a bata com peles de raposa nos ombros, ideia de Rubinho Gomes e Antonio Alaerte.

2) THOR

Banda Thor
Foto:Chico Guedes - Arquivo A Gazeta
Banda Thor

Nos anos 80, Vitória foi cenário do heavy metal expoente e uma das pioneiras do heavy metal autoral foi a banda Thor. Rockrise, sucesso da banda, deu nome ao livro do jornalista e escritor José Roberto Santos Neves, sobre a história do rock no Espírito Santo, com ênfase nos anos 80.

Alexandre (baixo), Giuliano (bateria), Jeffinho (guitarra) e Fábio “Boi” (vocal) eram os componentes.

3) PÓ DE ANJO

Banda Pó de Anjo
Foto:Divulgação
Banda Pó de Anjo

A banda de rock modificou o cenário musical capixaba nos anos 80, praticamente fundando o pop rock local. A banda estreou na inauguração da danceteria New Wave, que ficava no bairro Praia do Suá em Vitória, no dia 5 de outubro de 1984 e durou até meados de 1987.

Em 13 de março de 1986, o Pó de Anjo chegou ao ápice de sua trajetória, com a apresentação - a primeira vez que uma banda local abriu um show - no palco do Ginásio do Àlvares Cabral, para seis mil pessoas que aguardavam a apresentação de Léo Jaime, a estrela da noite. As principais músicas dessa fase são "Cara Comum", "Inverno" e "Eternamente".

4) LORDOSE PARA LEÃO


O Lordose Pra Leão nasceu nos corredores da Universidade Federal do Espírito Santo no início dos anos 90, reunindo músicos e letristas que, aproveitando a atmosfera democrática e libertária do rock da época, criaram um estilo próprio de fazer uma música, sem rótulos, utilizando recortes dos mais variados gêneros, como heavy metal, punk, blues, ska e outros. Desde o início, a presença de um trompete na banda deu o tom de novidade e se tornou uma das características mais marcantes da banda.

Marcou seu tempo, entrando para as paradas da extinta Rádio Capital, em 1992, com a canção "Jullyetsch". Pela primeira vez, uma banda de rock local penetrava em uma rádio comercial ganhando projeção e admiradores. Gravou três discos em estúdio e um ao vivo, além de coletâneas e participações de festivais de rock em todo o país. Atualmente faz raras aparições, em shows com sabor de nostalgia. Recentemente, gravou a música inédita “Eu velho“ para a coletânea do Cine Rua Sete, que sai em breve.

Adolfo Oleari (vocal), Sérgio Nascimento (vocal), Zé Renato (vocal e trumpete), Márcio Vaccari (bateria), Sandro Costa (baixo) Marcelo Maia (Guitarra), Beto Trombone (trombone) Luciano Cruz (Saxofone) integram a banda.

5) PÉ DO LIXO

O Pé do Lixo lançou clássicos como "Terra Prometida"
Foto:Pé do Lixo/Divulgação
O Pé do Lixo lançou clássicos como "Terra Prometida"

A banda de rock Pé do Lixo foi formada em 1995, na cidade de Vitória, do Estado do Espírito Santo. Pé do Lixo é rock, é suingue, é um grito por mudanças e por um mundo melhor. O nome surgiu nos testes para usar tonéis de óleo lubrificante como tambor. O tonel ficava com a parte aberta virada para o chão, e o som estava abafado. O serralheiro responsável em colocar os pés que iram tirar o tonel do chão disse: "Esse Pé do Lixo fez o maior sucesso, todo mundo que veio aqui comentou...".

Suas composições abordam temas como a reciclagem, o meio ambiente, questões culturais e buscam transmitir mensagens de conscientização e de cidadania.

Além de vocal, baixo, guitarra, bateria e percussão; grandes latões de plástico e ferro, bambus, folhas de zinco, pá de lixo complementam a percussão e se misturam com os instrumentos tradicionais fazendo parte do cenário e da cozinha, criando uma sonoridade inusitada.

6) DEAD FISH

Foto: Divulgação

Surgiu em 1991, em Vitoria, e é a banda de maior expressividade de hardcore nacional. Foi uma das primeiras, quiçá a primeira banda de hardcore melódico a cantar em português no Brasil, o que abriu portas pra todo mundo que veio depois, no final dos anos 1990. Radicada em São Paulo desde 2004, a banda continua como uma das mais ativas e relevantes do rock nacional. Teve o seu auge de popularidade após o lançamento de "Zero e Um", em 2004, primeiro trabalho da banda com a Deck Disk. Com maior distribuição e clipes na MTV, a banda saiu do underground e se mostrou para um novo público.

O último trabalho, "Vitória", foi realizado com financiamento coletivo e bateu o recorde de arredação pelo site Catarse, com R$258.766 arrecadados (o recorde foi quebrado pelo Teatro Mágico). Após constantes mudanças de formação, a banda é formada por Rodrigo (voz), Alyand (baixo), Ricardo (guitarra) e Marcão (bateria).

7) MUKEKA DI RATO

Banda Mukeka di Rato
Foto:Mariana Melchers
Banda Mukeka di Rato

Mukeka di Rato é uma banda de punk rock/hardcore formada em 1995 na cidade de Vila Velha. São conhecidos por terem um senso de humor sarcástico, com letras carregadas de conteúdo político, e por fazerem shows polêmicos, como quando o vocalista Sandro, nu, rasgou uma bíblia no palco do Dia D. O nome da banda surgiu devido a uma noticia que saiu na época dizendo que pessoas Pernambuco estavam comendo ratos para não morrer de fome. Os dois "K" no logotipo foram para homenagear bandas finlandesas que os membros gostavam de escutar na época.

A formação da banda conta com Sandro, Mozine, Paulista e Brek, O Mukeka foi a banda responsável por levar Vila Velha para o resto do Brasil. O orgulho de ser tosco se tornou um estilo de vida Brasil afora e popularizou a Laja Rekords, gravadora/selo comandado por Fábio Mozine. A banda já realizou turnê até no Japão.

8) MANIMAL

Banda Manimal
Foto:Divulgação
Banda Manimal

Formada em dezembro de 1995, criou o estilo Rockongo e ganhou o prêmio de melhor arranjo no Festival Nacional de Música, em Alegre, em 1996. O auge da banda foi entre 2000 e 2006. Entre os principais sucessos estão Água de Benzer, Na puxada de Rede, Marina e Encontrei. Em 2005, o nome foi mudado para Mahnimal.

Os músicos Alexandre Lima, Amaro Lima, Queiroz, Fábio Carvalho e Ronaldo Rosman integravam o grupo. Atualmente, a banda se encontra inativa devido a situação de Alexandre Lima, que segue em coma desde 2013, após sofrer um aneurisma, e recebe cuidados especiais da família em casa.

9) MACUCOS

Banda Macucos
Foto:Divulgação
Banda Macucos

Com pegada reggae e surf music, a banda de Vila Velha se formou em meados de 1999, quando, ainda adolescentes, cantavam em luaus. Como são muito ligados à natureza, um amigo sugeriu o nome Macuco, que é um pássaro ameaçado de extinção.

O auge da cena capixaba no geral foi de 2002 a 2004. Entre os principais sucessos estão Além do Mar, Haverá, Mãe natureza, Festa Dub, Tchau e Foi Sem Querer. O grupo possui quatro CDs lançados: Macucos (2002), Os quatro elementos (2004), Surf Trip (2007) e Coletânea (2011). Já dividiram o palco com várias bandas de renome nacional, tais como: Cidade Negra, O Rappa, Skank, Natiruts, Detonautas, Ivete Sangalo, Charlie Brown Jr.

Em 2014, a banda teve participação bem sucedida no programa SuperStar, da Rede Globo. Atualmente, fazem shows em outros Estados e, em setembro, farão uma tour em Porto Alegre. Também estão preparando o lançamento das músicas "Colecionando Momentos, "De rolê" e "Flor".

10) CASACA

Banda Casaca
Foto:Divulgação
Banda Casaca

A banda surgiu no réveillon de 2000, na Barra do Jucu, em Vila Velha, dando ao congo uma pegada mais pop. O auge foi em 2003, quando chegou a vender mais de 50 mil copias do primeiro CD assinaram contrato com uma grande gravadora. Em 2005, teve um de seus hits tocando em uma missão da Nasa no planeta Marte. Fizeram turnê na Europa em 2011 e 2012, onde participaram de vários festivais, um deles o Brasilian Day, na Suécia.

Os principais sucessos são "Anjo Samile", "Da Da Da", "Ondas do Barrão" e "Sabrina".

A banda é formada por Renato Casanova (voz), Flavinho (tambor de condução), Dhiego (tambor de repique) e Piriquito (casaca). Além dos músicos: Jr Araújo (guitarra), Negoleo (bateria), Leo Norbim (baixo), Anderson xuxa (percussão), Big z (trombone), Dinho (trompete ) e Jeremy ( teclado).

A banda está com um CD de 8 musicas prontas, ainda sem previsão de lançamento, no momento estão trabalhando a música nova " Do Seu Jeito".

Em breve, prometem o lançamento do novo video clipe.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online