Decididos a registrar sua rotina, os amigos Junior SQL e Igor Goulart produziram o documentário "Observar e Absorver"

Publicado em 24/06/2016 às 13h19

Atualizado em 03/08/2016 às 14h09

De uma futura carreira militar até largar tudo, em busca de respostas para seus questionamentos. Esta é apenas uma parte da história do artista plástico, escritor e filósofo de rua Eduardo Marinho. Ele não se conformava com alguns pontos da sociedade e também não se encaixava na ideia de competição que ela pregava. Assim, Marinho, que nasceu no Espírito Santo, decidiu viajar pelo Brasil, chegou a dormir na rua, mas foi na simplicidade que encontrou um sentido para a vida. Decididos a registrar a rotina de Marinho, sem interferir em nada, os amigos Junior SQL, como assina seus trabalhos, e Igor Goulart, produziram o documentário "Observar e Absorver", lançado em 24 de julho.

Junior, que dirigiu o documentário, conheceu Marinho há quatro anos, por meio de um vídeo do Youtube. Gostou do que viu e entrou em contato, gravando um material. Ele explica que já carregava seus próprios questionamentos e que, conhecer Marinho, o fez sentir que não estava sozinho, além de refletir sobre a forma de enxergar o mundo.

SQL começou no mundo do audiovisual ainda na frente das câmeras. Ele participou do canal de humor "La Fênix" quando, segundo ele, encerrou o ciclo. Após a experiência, decidiu se dedicar totalmente ao cinema. Ao procurar um tema para o seu primeiro longa-metragem, ele acabou se lembrando do vídeo que havia feito com Marinho. Como ninguém não havia feito nada do gênero com ele, decidiu que seria o "filósofo da rua" seu personagem. Após conversas, eles começaram a produzir o material.

O diretor pontua que a produção é simples como o próprio Eduardo. Mas também envolve diversas histórias. Entre elas, dormir na Celestina, a Kombi de Marinho, enquanto viajavam do Rio até São Paulo. A aventura rendeu ainda uma entrevista com Brisa, uma das filhas de Marinho e um encontro com o grupo de grafiti Opni.

Filosofia e música

Foto: Júnior SQL e Igor Goulart
Junior e Igor junto aos cariocas do Braza, que aceitaram o convite e também deu seu depoimento para o documentário

Não é apenas Junior e Igor que são influenciados pela filosofia de Eduardo Marinho. Os cariocas da banda Braza, formada por três ex-integrantes do Forfun, lançaram recentemente o disco homônimo, em que, uma das faixas, Pedro Pedreiro Parou de Esperar, tem como introdução o trecho de uma fala do filosofo da rua. O trio aceitou o convite do diretor e também deu seu depoimento para o documentário.

Marinho vê Pedro Pedreiro Parou de Esperar como um proveito musical. Em seu ponto de vista, "o artista é apenas a antena que capta e materializa, não muito mais que isso". A obra vai variar de acordo com sua capacidade, mentalidade e até seus interesses.

História de Eduardo Marinho

Foto: Júnior SQL e Igor Goulart
Eduardo Marinho observa como estão ficando as filmagens do documentário

Eduardo Marinho não gosta muito de ser chamado de senhor, mas fala sobre sua história e também do fato de ter se tornado tema de documentário. Ele veio de uma família de classe média, chegou a iniciar a carreira militar, mas a abandonou por achar que não era para ele. Até chegou a passar no vestibular para o curso de Direito, porém não se encaixava no que via como o padrão da sociedade, o da competição, de querer mostrar ao próximo. Além disso, os questionamentos o angustiavam.

Marinho sempre viajou, já que o pai era transferido do emprego de dois em dois anos. Quando o pai se aposentou, ele então resolveu "cair no mundo" para tentar solucionar aquilo que o incomodava e, assim, começou uma nova história. Chegou a dormir na rua e a conviver diretamente com todo o tipo de gente: de empresários aos mais humildes. Ali viu a forma como as pessoas que menos tinham são tratadas e sofreu na pele o peso da desigualdade social.

Ser tema de documentário não chegou a surpreender. Ainda assim, como o mesmo ressalta, a proposta não foi esperada. A condição para tal, continua, foi que Junior e Igor não interferissem em nada ou sequer tentassem mudar algo que estava sendo registrado. O intuito era apenas observar e acompanhar seu dia a dia.

Marinho não acredita muito na política que é feita atualmente. Para ele, o que existe hoje não pode ser considerado como tal. "É uma farsa, um teatro macabro de marionetes, numa sociedade que não tem no ser humano o seu centro de importância, mas no patrimônio, no lucro a qualquer custo, inclusive dos direitos constitucionais da esmagadora maioria da população.", pontua.

Ao sair de casa, ele acabou rompendo relações com a família, que não aceitava a ideia. Marinho comenta que entender não significa concordar. Durante os anos na estrada vieram os filhos e, assim, Eduardo também constituiu a sua família.

Não é só a filosofia que permeia a vida de Eduardo. Ele também utiliza desenhos e colagens, muitos deles com frases de própria autoria, como "Observar e Absorver", que dá nome ao documentário e ao blog que ele mantém. A inspiração para tudo isso não vem apenas do cotidiano. Ele cita o desequilíbrio social, as injustiças e perversidades cotidianas, criminalizando as vítimas dos crimes sociais e a sabotagem das multidões em todos os serviços públicos, como motivação.

Quando perguntado se crê no futuro dos brasileiros, Eduardo Marinho não sabe o que significa esse "acreditar", mas deixa sua mensagem. "Tudo está em movimento, nada está parado, a única permanência é a mudança, o resto muda. Mudam as pessoas, as relações, as coisas, as sociedades. E todos participam, a maioria sem consciência disso, muitos negando isso e alguns poucos conscientemente, em vários graus. Nada será como antes, amanhã...", conclui o filosofo da rua.

Repercussão
Em uma semana o documentário já alcançou a marca de mais de 120 mil views. Com boa aceitação por parte do público, a obra além de bastante comentada, também foi compartilhada por nomes como o humorista Gregorio Duvivier, que afirmou que a produção é uma aula de vida e de arte.

Confira o documentário

Conheça mais sobre a obra

Página: https://www.facebook.com/ObservareAbsorver/?fref=ts

Instagram: https://www.instagram.com/observar_absorver/

Conheça Eduardo Marinho: http://observareabsorver.blogspot.com/

Compartilhe



Mais no Gazeta Online