"Game of Thrones" entra nos trilhos no último episódio do sétimo ano

Com seis capítulos, oitava e derradeira temporada pode estrear apenas em 2019

Publicado em 29/08/2017 às 09h00

Atualizado em 30/08/2017 às 10h13

Jon Snow: revelação sobre sua origem foi um dos pontos altos do último episódio da temporadaALERTA: CONTÉM SPOILER

A primeira coisa a ser dita neste texto, claro, é que se você não assistiu ao episódio do ultimo domingo de “Game of Thrones” talvez seja melhor ir parando por aqui. Ninguém, afinal, quer ser responsável por estragar surpresas. Não que tenham sido muitas, mas dá para dizer que no último episódio da sétima – e penúltima – temporada, a série voltou aos rumos.

Algumas coisas eram bem esperadas, como a relação entre Jon e Daenerys (única cena que ainda ficou com cara de fanfic), mas outras, como os acontecimentos em Winterfell (finalmente!!) e a fácil, extremamente fácil, queda da muralha surpreenderam.

A verdade é que há tempos a série não tem mais o peso e a cadência dos primeiros anos – o aumento do orçamento, zumbis, dragões e a necessidade de batalhas cada vez mais épicas, além da ausência de um material original como os livros de George R. R. Martin (que ainda não lançou o prometido sexto livro), contribuíram para a queda de qualidade das tramas e para o aumento dos combates, nada que tenha afastado o público, pelo contrário.

A pisada no acelerador nesta sétima temporada logicamente acelerou a trama e entregou aos fãs muito do que eles queriam ver, mas também conferiu contornos de novela mexicana à série. Vimos dragões o tempo todo, reencontros familiares, planos estúpidos etc., mas e agora? Teremos apenas seis episódios até a conclusão da trama e teremos que esperar um ano ou mais (já cogitam a estreia apenas para 2019) pela derradeira oitava temporada?

Aegon Targaryen

Como os roteiros já davam indícios há algum tempo e os leitores da saga literária já desconfiavam, Jon Snow (ou melhor, Aegon Targaryen) é realmente filho de Lyanna Stark (irmã de Ned Stark) e Rhaegar Targaryen (irmão de Daenerys), que se casaram em cerimônia secreta, o que faz com que Jon não apenas não seja um bastardo, mas também seja o legítimo herdeiro ao trono de ferro.

Vale lembrar que toda a rebelião que colocou Robert Baratheon no poder, baniu os Targaryen e deu força aos Lannister, foi motivada por um suposto sequestro e estupro de Lyanna (então noiva de Robert) por Rhaegar, ou seja, a informação de que eles fugiram para se casar é muito importante.

Mas por que isso importa agora se tudo ficou no passado? A questão é que ninguém sabe exatamente como Daenerys vai reagir quando souber que não é a legítima herdeira do trono.

E tem mais!

Mas a revelação de Jon/Aegon não foi o único grande acontecimento. No Norte, Sansa e Arya tomaram as rédeas de Winterfell e agora devem se preparar para a chegada dos mortos, que, por sua vez, não tiveram dificuldade para superar o primeiro obstáculo.

Também vimos que a tal aliança com Cersei não deu muito certo, ao menos não para a atual regente. O resultado foi que, pela primeira vez, Jamie Lannister e sua irmã não estão lado a lado.

A seis episódios do fim, ainda há muito a ser resolvido; quem vive, quem morre, quem governa, quem rasteja... George R. R. Martin já falou que suas “Crônicas de Gelo e Fogo” contam uma jornada geracional de personagens que se transformariam ao longo da história, mas que sobreviveriam a ela. Os eleitos, a princípio, seriam cinco, mas isso foi lá atrás. Agora, com os livros ainda sendo uma incógnita e com Martin afastado dos roteiros da série de TV, tudo pode acontecer em “Game of Thrones”, mas teremos que esperar mais um longo e tenebroso inverno até o fim.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online