Danilo Diniz lança segundo disco com show no Sesc Glória

Músico capixaba se inspirou na pureza das crianças para desenvolver o segundo projeto, produzido de maneira totalmente independente

Publicado em 03/09/2017 às 12h28

Atualizado em 04/09/2017 às 15h12

Disco de Danilo foi produzido de forma independente
Foto:Luara Monteiro/Divulgação
Disco de Danilo foi produzido de forma independente

Erê, no iorubá, é a criança em seu modo encantado, com a alegria e a magia típicas dos pequenos. O termo deu nome ao segundo disco de Danilo Diniz, que será lançado neste domingo, a partir das 19h, no Centro Cultural Sesc Glória, no Centro de Vitória.

A escolha de “Erê” para nomear o trabalho não foi à toa. Foi na poética envolvida neste conceito que o músico se apegou para construir as nove faixas, quatro delas feitas em parceria com Paulo Netto. O disco é repleto de referências genuinamente brasileiras, como congo, samba e xaxado.

Danilo traça um paralelo entre a ingenuidade e a pureza das crianças e a função social da música, vista pelo artista como instrumento de autoconhecimento. “Com esse trabalho, venho romper paradigmas. A ideia é reatar laços com as crianças que temos dentro de nós, resgatar no sentido de propiciar uma vivência mais criativa, uma existência plena. As relações das crianças são muito puras”, divaga Danilo, que também é psicólogo por formação.

A ideia de fazer música em cima da pureza e do encantamento que remete às crianças surgiu, inclusive, graças a Nietzsche, um dos filósofos estudados por Diniz durante a graduação.

Em uma de suas obras, o alemão diz que o espírito tem três fases: a do camelo, quando carregamos tudo nos ombros; a do leão, quando descobrimos a força e nos revoltamos; e a fase da criança, que é quando passamos a ter um grande poder transformador, graças à pureza.

 

“Penso que a arte tem que causar alguma emoção nas pessoas, deve mexer com o ser humano diante de algumas questões. Acredito que a música aproxima as pessoas, nos faz mais gente”, diz Danilo.

 

“Erê” vem quase 20 anos depois do lançamento de seu primeiro disco, “De Frente pro Mar”, gravado em 1998. De lá para cá, Danilo viu muitas mudanças, tanto na vida profissional, quanto no mercado da música. O que se manteve durante todo esse tempo foi a admiração pela Música Popular Brasileira, praticamente uma bandeira do músico.

“O Brasil é um caldeirão cultural, sabemos disso e enxergamos em cada brasileiro essa miscigenação. Tomei a decisão de ir contra a maré atual, da música como um produto”, ressalta.

Produzido de forma totalmente independente, o álbum começou a ser pensado há quase sete anos, com a reunião de pesquisas musicais feitas durante viagens de Danilo por diversos cantos do país.

O trabalho reúne influências que vão de nomes locais como Jaceguay Lins e Zé Antônio, a outros grandes artistas como Luiz Gonzaga, Cartola, Caetano Veloso e Tom Jobim.

“Tenho referências da minha geração, como a trilha sonora do ‘Sítio do Picapau Amarelo’, construída por Dori Caymmi, e também de gerações anteriores, como Ary Barroso. Todo esse processo de influências leva em conta minha relação de presente, passado e futuro”, conclui o músico.

Lançamento do álbum "Erê"

Quando: Hoje, às 19h.

Onde: Teatro Sesc Glória. Avenida Jerônimo Monteiro, 428, Centro, Vitória.

Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia), à venda na bilheteria do Centro Cultural Sesc Glória.

Informações: (27) 3232-4750.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online