Show em Vitória celebra lado menos conhecido de Clara Nunes

Cantoras Monique Rocha e Dorkas Nunes destrincham repertório de um dos maiores ícones da música brasileira em duas apresentações

Publicado em 21/03/2018 às 19h40

Monique Rocha tem homenageado Clara Nunes há alguns anos
Foto:Diego Miranda/Divulgação
Monique Rocha tem homenageado Clara Nunes há alguns anos

Por muitas vezes associada somente ao samba, Clara Nunes gostava de dizer com convicção que era uma cantora de música popular brasileira. Diante disso, as capixabas Monique Rocha e Dorkas Nunes se uniram para celebrar a mineira no show “Clara: sambas, boleros e canções”. O espetáculo tem pré-estreia amanhã, às 20h, na Casa de Bamba, e estreia no sábado, no Spírito Jazz.

Com idealização e roteiro de José Roberto Santos Neves, a apresentação reúne músicas menos conhecidas do repertório de Clara, cuja morte completa 35 anos no dia 2 do próximo mês. A intenção é homenageá-la e relembrar sua versatilidade.

O show faz uma viagem cronológica pela carreira da cantora, desde sua estreia pela gravadora Odeon em 1966, com “A Voz Adorável de Clara

Nunes”, até o álbum “Nação”, lançado em 1982. Serão apresentadas canções de autoria de Noel Rosa, Pixinguinha, Candeia, Nelson Cavaquinho, Monarco, Ataulfo Alves, Dorival Caymmi, Cartola, Paulo Vanzolini, João Nogueira, Eduardo Gudin, João Nogueira, Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro, que chegou a ser casado com Clara.

“O José Roberto nos convidou para participar deste projeto e, como já tínhamos separadamente uma trajetória de trabalho voltado para a obra de Clara, eu e Dorkas aceitamos”, conta Monique Rocha, que em 2015 chegou a fazer uma série de apresentações na Grande Vitória com o projeto “O Canto da Guerreira”.

Já Dorkas participou, em 2014, do espetáculo “Um Ser de Luz – Saudação a Clara Nunes”, também idealizado e dirigido por José Roberto. Ao longo da carreira, a cantora chegou a se apresentar com Elis Regina, com a própria Clara, com Maurício de Oliveira e Sebastião Tapajós.

Monique conta que a ideia é mostrar uma Clara Nunes "diferente" daquela conhecida pelo grande público. “O Zé Roberto entregou o roteiro pra gente com uma seleção de músicas pouco conhecidas. Pesquisamos esse repertório e convidamos alguns outros músicos parceiros para afinar a apresentação”.

Ainda de acordo com a capixaba, a ideia é tirar um pouco a estética africana deste projeto. “Queremos fugir disso, para dar uma pegada mais romântica, mais fiel ao que foi o início da carreira da Clara mesmo”, diz.

A previsão é de que haja mais apresentações além das duas deste final de semana, segundo Monique. A organização espera levar o espetáculo para teatros e outros ambientes mais intimistas.

“Para mim foi um convite muito importante e queremos estender isso, porque sabemos da importância da Clara”, conclui.

Clara: Sambas, Boleros e Canções

Quando: pré-estreia nesta sexta-feira (23), às 20h, na Casa de Bamba. Estreia neste sábado (24), às 20h, no Spírito Jazz.

Onde: Casa de Bamba. Rua Gama Rosa, 154, Centro, Vitória; Spírito Jazz. Rua Madeira de Freitas, 244, Via Cruzeiro Mall, Praia do Canto, Vitória.

Couvert: R$ 15 (Casa de Bamba); R$ 20 (Spírito Jazz).

Informações: (27) 3222-3074 ou (27) 3019-0860.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online