"Sucesso" de pré-vendas, filme de Edir Macedo tem salas vazias

"Nada a Perder" vendeu 4 milhões de ingressos antes mesmo de sua estreia; fenômeno similar ao ocorrido com "Os Dez Mandamentos"

Publicado em 29/03/2018 às 20h59

Atualizado em 29/03/2018 às 21h09

Nada a Perder, cinebiografia do fundador da igreja Universal Edir Macedo
Foto:Paris Filmes/Divulgação
Nada a Perder, cinebiografia do fundador da igreja Universal Edir Macedo

Com 4 milhões de ingressos vendidos antes mesmo de estrear, a cinebiografia do bispo Edir Macedo, "Nada a perder", já é a maior bilheteria do ano. No entanto, sessões visitadas  na estreia, nesta quinta-feira (29), estavam vazias, apesar de terem seus ingressos praticamente esgotados.

A reportagem foi ao Espaço Itaú de Cinema e ao Cinemark, ambos em Botafogo, em três sessões do filme na tarde desta quinta. Cerca de 40 pessoas compareceram a cada uma dessas exibições. As salas visitadas comportam 251 e 219 lugares, respectivamente.

Alguns espectadores presentes afirmaram que os ingressos estão sendo distribuídos para os fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus:

"O pastor da minha igreja na Rua Riachuelo (Centro) deu ingressos para todos que estavam na última reunião", disse Maria Gomes, que distribuiu algumas entradas da "cota" de sua família na frente do Espaço Itaú de Cinema.

Em ambos os cinemas, mulheres ficavam próximas às salas de exibição distribuindo lencinhos personalizados com uma passagem bíblica e um link para a página oficial do bispo Macedo na internet. Uma delas, identificada apenas como Deolinda, deu um ingresso para o repórter.

"O bispo Macedo tem uma história muito sofrida, igual à nossa, foi humilhado na infância e conseguiu levar a palavra de Deus para muita gente", disse Júlia Alves, espectadora que recebeu os ingressos na igreja da Rua São Clemente, em Botafogo.

Procurada, a distribuidora Paris Filmes disse que não recebe informações a respeito de vendas de ingressos. Por e-mail, o departamento de comunicação social da Igreja Universal chamou de “vergonhosa a acusação” de que estaria comprando ingressos para distribuir aos fiéis.

Também reiterou nota, publicada em seu site na última sexta-feira, que dizia: “A mídia, os produtores e promotores de fake news tentarão, de todas as formas, espalhar que o êxito do filme foi manipulado, que os ingressos teriam sido comprados pela Universal e distribuídos aos fiéis. É mentira! A Universal não comprou, nem comprará entradas de cinema. O que existe é a mobilização espontânea de grupos e de membros da Universal, que se organizaram para que o maior número de pessoas tenha chance de assistir ao filme

CONTINUAÇÃO DO FILME ESTÁ CONFIRMADA

Com previsão de exibição em 1.109 salas, "Nada a perder" é o terceiro maior lançamento para um filme brasileiro, atrás apenas de "Os Dez Mandamentos"" (1.127 salas) e “Minha mãe é uma peça 2” (1.125). Os três são parcerias das produtoras Paris Filmes e Downtown.

Com direção de Alexandre Avancini, a adaptação do best-seller de Douglas Tavolaro é protagonizada pelo ator Petrônio Gontijo, que vive o Bispo Macedo. O filme, junto com sua sequência já confirmada para 2019, tem um orçamento de R$ 40 milhões.

Após três meses em cartaz, “Nada a perder” estará disponível na Netflix. Além disso, terá ainda distribuição internacional: a partir de 26 de abril, entra em cartaz em 700 salas em toda a América Latina, além da África do Sul, Angola e Moçambique, onde a Universal tem presença. No Brasil, haverá sessões itinerantes em presídios, hospitais e escolas.

No filme "Os dez mandamentos" (2016), adaptação da novela da Record também dirigida por Vancini, a IURD também foi acusada de comprar bilhetes para distribuir entre seus fiéis. O filme tornou-se a maior bilheteria da história do cinema nacional. A Igreja também negou que tenha usado essa estratégia.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online