Exposição reúne a evolução do móvel capixaba nos últimos séculos

Aberta nesta quinta-feira (12) em Vitória, mostra faz apanhado histórico do setor moveleiro e do design no Espírito Santo

Publicado em 11/07/2018 às 20h32

Atualizado em 11/07/2018 às 20h34

Foto: Felipe Amarelo/Divulgação
Móvel de Joaquim Tenreiro, grande nome do design que passou pelo Estado

Um dos designers de móveis (mas não só) mais importantes do país, José Zanine Caldas dizia que a madeira tem duas vidas, uma como árvore, e outra como móveis e demais objetos que ganham forma e passam a conviver conosco, se transformando e permanecendo por diversas gerações.

Com a intenção de mostrar as mais diversas fases e de fazer um resgate histórico do setor moveleiro do Espírito Santo, a exposição “Móvel Capixaba: Passado e Presente” reúne, a partir de hoje, peças, imagens e textos que fazem um apanhado dos móveis produzidos no Estado desde o século 19 até os dias atuais.

São cerca de 50 móveis de diversos tipos e 20 painéis fotográficos que ficam em cartaz no Sesi Arte Galeria até o dia 23 de setembro.

Jornalista especializada e professora de história do design, Adélia Borges é quem assina a curadoria da exposição. Mineira radicada em São Paulo, a expert destaca dados importantes do Estado, com o fato de ter sido a primeira unidade da federação a ter um curso universitário de Design de Interiores, por exemplo.

Foto: Mile4 Assessoria/Divulgação
Ricardo Freisleben assina um dos móveis expostos

“O Espírito Santo é cheio de situações singulares, como a tradição dos imigrantes, que tiveram uma vivência bem diferente da de outros estados. Nessa tradição histórica, o móvel pomerano se destaca, por exemplo, assim como a herança italiana”, diz Adélia.

Segundo a curadora, o design fez com que a própria atividade marceneira se desenvolvesse no Estado, já que muitos designers daqui passaram a desenhar os móveis dos projetos que faziam. Outros, de fora, também recorrem até hoje aos marceneiros capixabas, considerando a qualidade do trabalho desenvolvido.

Na exposição, há trabalhos de profissionais diversos, tanto locais, como Ana Paula Castro, Rita Garajau, Cezar Guedes e Ricardo Freisleben, quanto de fora do Estado, como Arthur Casas, Claudia Moreira Salles, Gisele Taranto e Miguel Pinto Guimarães.

A mostra, para a curadora, é capaz de fazer com que os visitantes enxerguem além da funcionalidade do móvel, notando expressões culturais que imprimem detalhes importantes de determinada época em determinados lugares.

“Quando colocamos o móvel em uma exposição, ele se desloca da situação do cotidiano. Não estamos acostumados a olhar com atenção. Isso permite que as pessoas apreciem, notem detalhes, e percebam aspectos culturais muito importantes nesses objetos”, conclui.

Foto: Mile4 Assessoria/Divulgação
Projeto de Claudia Moreira Salles integra acervo reunido para mostra em Vitória

Móvel Capixaba: Passado e Presente

Quando: de hoje até o dia 23 de setembro.

Visitação: terça-feira a domingo, das 8h às 19h.

Onde: Sesi Arte Galeria. Avenida Nossa Senhora da Penha, 2053, Edifício Findes (térreo), Santa Lúcia, Vitória.

Entrada gratuita.

Informações: (27) 3334-5600.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online