Thiaguinho quer "transmitir mais sentimento" em projeto acústico

Cantor lança EP com cinco faixas, que serão lançadas uma a cada semana

Publicado em 10/08/2018 às 17h37

Atualizado em 10/08/2018 às 20h14

Thiaguinho no clipe de "Envolvidão" nas plataformas digitais
Foto:Reprodução/YouTube Thiaguinho
Thiaguinho no clipe de "Envolvidão" nas plataformas digitais

Thiaguinho já tentou outras formas de apostar em versões de suas músicas acústicas. Agora, aos 35 anos, lança "Acústhico", EP com cinco faixas que serão lançadas, em parcelas, até o fim deste mês. Com o trabalho, o cantor quer "transmitir mais sentimento", em suas próprias palavras, além de acreditar que, dessa forma, a mensagem das canções também pode ser melhor interpretada por quem a ouve. 

Para o cantor, o público não vai estranhar porque ele já realizou trabalhos parecidos outras vezes. "Mas tento sempre passear pelos diferentes estilos. Acho que esse projeto 'Acústhico" é mais um exemplo disso. O projeto tem tudo para dar certo", defende, completando: "A intenção é que o público possa curtir e relaxar ao som dessas canções".

O pagode ou samba acústico não é uma novidade no mercado musical. A MTV já realizou a experiência com um grande nome: Zeca Pagodinho. Diferente do que foi executado por Zeca, em 2003, Thiaguinho, pelo menos nas primeiras músicas apresentadas -  "Neblina" e "Envolvidão" -, aposta num formato mais cru.

Enquanto Zeca levava todos os instrumentos típicos do samba, como pandeiro, cuíca, cavaquinho e tantã, para trabalharem juntos com os refinados sons do violino, violoncelo e metais, Thiaguinho aposta na fórmula voz e violão, no melhor estilo barzinho da sexta-feira. O som das canções tem tudo a ver com a situação, uma vez que as músicas têm a pegada acelerada nas letras e rimas, muito comuns na carreira do paulista, muito presentes nas baladinhas de leve em clima de "sextou".

O trabalho tem tudo para pegar na noite boêmia, já que a fórmula vem pronta para os cantores de barzinhos. A questão é saber como esse trabalho será apresentado aos fãs do cantor, acostumados com projetos agitados como "Tardezinha" e o recente "Só Vem.

Confira a entrevista abaixo, onde Thiaguinho falou sobre a experiência de gravar as músicas que fazem parte desse projeto - "Envolvidão", "Neblina", "Na Nossa Sala", "Energia Surreal" e "Ponto Fraco" - e quais serão os próximos rumos da carreira.

Como está sendo o lançamento das faixas?

O EP tem cinco faixas, no total, e vamos lançar uma por semana. É um formato novo para mim, que escolhemos particularmente para este projeto. Pode ser algo que repetiremos mais tarde ou não.

E depois de "Acústhico" quais são os próximos passos?

Esse projeto se encerra com o lançamento da 5ª faixa, “Ponto Fraco”, no dia 31 de agosto. Vou continuar divulgando também meus últimos álbuns, “Só Vem!” e “Tardezinha 2”. Mas estou sempre produzindo material novo. Em breve teremos mais novidades

E terá alguma turnê com essas músicas acústicas?

No momento estou rodando o Brasil com a turnê “Só Vem”, para apresentar o meu álbum homônimo de músicas inéditas. Continuo também com o Tardezinha. O “Acústhico” é um projeto paralelo

E quanto à seleção das músicas do projeto... São músicas especiais para você?

Na verdade, todas as canções que gravo são especiais. Só gravo o que sinto, o que me emociona de alguma forma... Acho legal mostrar essas canções com outra roupagem pra mostrar que a música é universal

E o que você acha que as pessoas vão sentir ouvindo essas músicas nessa nova versão?

Cada uma dessas músicas tem suas particularidades, e cada pessoa pode interpretá-las de forma diferente. A minha intenção com o “Acústhico” é abrir essa porta, deixar o sentimento dessas canções fluir e contagiar o público. Fazer com que ele se deixe levar pela emoção.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online