"Carcereiros" volta para encerrar a primeira temporada nesta quinta

Série da TV Globo, que teve início no primeiro semestre, volta para exibição de mais oito episódios

Publicado em 09/10/2018 às 11h53

Carcereiros: Adriano (Rodrigo Lombardi)
Foto:Globo/Ramón Vasconcelos
Carcereiros: Adriano (Rodrigo Lombardi)

A primeira temporada de "Carcereiros" volta a ser exibida nesta semana na tela da TV Globo. A partir de quinta-feira (11), Adriano (Rodrigo Lombardi) se depara com o inesperado e a escolha por viver uma nova história, com sua transferência para outro presídio.

E uma novidade para os fãs da série: além dos 12 episódios já disponíveis no Globoplay, outros três, inéditos, serão lançados para assinantes na plataforma também na quinta-feira, totalizando 15 episódios da primeira temporada.

Ao longo dos sete episódios de "Carcereiros" exibidos no primeiro semestre, o agente penitenciário se viu em meio a uma rebelião, teve sua idoneidade colocada à prova, quase sucumbiu à violência e se deparou com fantasmas que assombravam sua própria família. Na continuação desta primeira temporada, Adriano segue em sua luta diária por manter sua honra mesmo diante de uma realidade que nem sempre se constrói apenas com a palavra. Até mesmo o novo relacionamento do pai com uma mulher muito mais nova e o comportamento rebelde da própria filha são motivos para tensão. E quando surge uma paixão pela mulher de um criminoso? São situações que acontecem no dia a dia de quem lida com um universo tão perigoso quanto inesperado.

Carcereiros: Wellington ( Gabriel Leone ), Valdir ( Tony Tornado ) e Isaías ( Lourinelson Vladimir )
Foto:Divulgação/TV Globo
Carcereiros: Wellington ( Gabriel Leone ), Valdir ( Tony Tornado ) e Isaías ( Lourinelson Vladimir )

Na sua rotina, ele já estava acostumado com o aspecto rígido, duro e até mesmo frio dos corredores da Vila Rosário, penitenciária em que trabalha há anos. Os grandes corredores, as paredes cinza, os lugares onde os presos escondem drogas e até celulares, tudo faz parte desse dia a dia.

A penitenciária Filinto Prates começa a aparecer a partir do 13º episódio, ainda inédito tanto na TV como no Globoplay. É lá que Adriano terá a oportunidade de viver novas histórias, com novos colegas e outros desafios. Diferentemente do que foi visto pelo público até o momento, este novo presídio é totalmente cenográfico, construído em um galpão em São Paulo, sob direção de arte de Claudia Calabi.

O desafio de erguer celas, raios, corredores e tudo o que compõe essa realidade trouxe novas possibilidades para a obra. “Se no presídio real em que gravamos inicialmente, a gente retratava a austeridade do Estado, aqui a gente fala da ausência dele. Então, isso nos permitiu brincar mais com o imaginário de presídio que remete até ao Carandiru ou até a presídios mais do Norte do país, que tem umas gambiarras e improvisos dentro deles”, explica Claudia, mostrando todos os detalhes criados por sua equipe, como pichações, pinturas que imitam mofo e sujeira, “gatos” de energia, entre outros.

Durante dois meses de trabalho das mais de 60 pessoas da equipe de arte, foram utilizados 1.800 litros de tinta e 15 toneladas de ferro para construir uma área de 3.300 m².

ELENCO

Nos primeiros episódios exibidos no primeiro semestre, nomes como Caco Ciocler, Carol Castro, Maria Clara Spinelli e Jonathan Haagensen marcaram presença na série. A partir do oitavo episódio, o público acompanhará a veia dramática de Samantha Schmutz, o embate entre os personagens de Matheus Nachtergaele e Chico Díaz, o caráter duvidoso do papel de Gabriel Leone, a visceralidade da detenta de Letícia Sabatella, o olhar assustado do personagem de Leonardo Medeiros, a seriedade de Douglas Silva e a sensibilidade de Heslaine Vieira.

Carcereiros: Érika ( Letícia Sabatella )
Foto:Divulgação/Beto Besant
Carcereiros: Érika ( Letícia Sabatella )

O trabalho com tantos atores de diferentes gerações e escolas foi uma das tarefas de José Eduardo Belmonte, diretor-geral da série. “A preparação de elenco é uma coisa que gosto de fazer eu mesmo. Seguimos um processo no qual acredito há tempos: nos ensaios, a gente precisa entender sensorialmente e intelectualmente os personagens e os temas. Ou seja, além de fazer com que a cabeça do ator entenda o que é o personagem, o corpo precisa entender também todo o seu conceito. É preciso ter uma consciência racional e emocional. Junto a isso, fizemos pequenas mesas de debates e pesquisa, ouvindo agentes penitenciários e visitando presídios”, explica Belmonte, que contou ainda com o apoio da preparadora de elenco Nara Mendes.

Durante dois meses de trabalho das mais de 60 pessoas da equipe de arte, foram utilizados 1.800 litros de tinta e 15 toneladas de ferro para construir uma área de 3.300 m².

‘Carcereiros’ é uma série assinada por Fernando Bonassi, Marçal Aquino e Denisson Ramalho, escrita com Marcelo Starobinas, livremente inspirada na obra de Drauzio Varella. Coprodução da Globo com a Gullane Filmes e a Spray, a obra tem direção geral de José Eduardo Belmonte e direção de episódios de Belmonte e Fernando Grostein.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online