Espetáculo "Hair" volta aos palcos de Vitória com mensagem de paz

Com novidades e músicas inéditas, espetáculo será apresentado neste fim de semana no Sesc Glória

Publicado em 11/10/2018 às 14h48

especial

Movimentos sociais, amor livre e repúdio a qualquer tipo de preconceito. A mensagem poderia se encaixar no Brasil hoje, mas “Hair – Um Sonho de Liberdade” se passa na Nova York dos anos 1960. Em cartaz no Sesc Glória no próximo sábado, 13, às 19h, e no domingo, 14, às 17h, a peça é dirigida por Elaine Rowena e Angelo Jantorno, e conta com uma grande equipe: são 68 pessoas no palco. “Temos apresentações de solistas, coral, bailarinos, banda e artistas de circo, todos atuando em um cenário virtual”, explica Elaine Rowena.

O musical é apresentado com o apoio da Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames), desde novembro do ano passado. “Temos muito orgulho dessa produção inteiramente capixaba de uma das mais célebres peças da Broadway. ‘Hair’ já foi trazida para São Paulo e para o Rio de Janeiro, sempre com versões em português das músicas. O Espírito Santo é o primeiro a ter o espetáculo falado na nossa língua, mas com as canções originais em inglês”, relata Elaine.

NOVIDADES

A cada temporada, a equipe traz inovações – haverá novos figurinos e a inserção de duas músicas nunca apresentadas: “Sodomy” e “Where Do I Go”.

Essas novidades fazem com que a peça continue atraindo o público. “Muitos problemas sociais da época são semelhantes aos que vemos hoje, como racismo, homofobia, machismo, diferenças familiares e dependência química. A Sheila Franklin, personagem que eu interpreto, está à frente do seu tempo e vive toda essa questão de liberdade sexual”, revela Elaine. “Trata-se de uma aula de história que se torna ainda mais pertinente nos dias de hoje. As pessoas estão violentas demais, cheias de ódio, e a mensagem de ‘Hair’ é justamente o oposto, ‘Paz, Amor, Liberdade e Flor’”.

Espetáculo "Hair - Um Sonho de Liberdade"
Foto:Assessoria de Imprensa/Divulgação
Espetáculo "Hair - Um Sonho de Liberdade"

As novidades estão também no elenco. Seguindo a tradição da Broadway, que busca rostos desconhecidos para seus musicais, Elaine percorreu karaokês para recrutar cantores. Os recrutados tiveram aulas de canto, dança e teatro.

Em outra estratégia para a aproximação com a época, os atores deixaram os cabelos crescerem. “Não corto o cabelo desde fevereiro do ano passado, e perdi 5kg para ficar mais parecida com a Sheila”, conta a diretora. Tudo pela arte.

Por sua vez, o também diretor e protagonista do musical, Angelo Jantorno, ganhou massa para viver Claude Hooper Bukowski. Quando os ensaios começaram o ator pesava 69kg e, hoje, depois de intensos exercícios e dietas, está com 83kg.

“Preciso ficar mais atlético e ter uma resistência maior para as cenas corporais no palco. Além de desenvolver o corpo, é necessário fazer o mesmo com a voz”, acrescenta. “Nos musicais, é importante parecer o mais natural possível, esse canto não pode parecer forçado”, completa Angelo.

O músico Diego Lyra, figura conhecida nos palcos capixabas, está na peça como George Berger desde julho deste ano. “Sou um artista contemporâneo, faço música popular e, como se trata de uma peça histórica, há todo um processo de estudo por trás”, pondera. . “Estou praticando canto lírico, dança e linguagem corporal, o que está sendo um desafio, porque eu estava afastado do teatro. Temos ainda uma consultoria em língua inglesa. É preciso ter um cuidado especial com a pronúncia, a dicção e a emoção, para que, mesmo sem saber inglês, todos consigam entender a ideia que queremos passar por meio das músicas”.

Hair – Um sonho de liberdade

Quando: sábado (13), às 19h, e domingo (14), às 17h.

Onde: Centro Cultural Sesc Glória. Av. Jerônimo Monteiro, 428, Centro, Vitória.

Quanto: R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira). Ingressos à venda na bilheteria do teatro.

(A autora é residente em jornalismo. Texto sob supervisão de Rafael Braz)

Compartilhe



Mais no Gazeta Online