Vem, tranquilo! Rodrigo Aragão abre museu de monstros em Guarapari

Mestre do cinema de terror, o cineasta inaugura seu "Museu dos Monstros" com bonecos e acervo de seus filmes

Publicado em 14/04/2019 às 12h40

Atualizado em 14/04/2019 às 12h40

Zumbis, monstros, caveiras e sangue, muito sangue. O cenário parece o de um filme de terror – e é. Mais especificamente do longa “O Cemitério das Almas Perdidas”, sexto filme do renomado cineasta capixaba Rodrigo Aragão, 42 anos. Conhecido como mestre do terror, Rodrigo inaugurou  na Praia do Morro, em Guarapari, o “Museu dos Monstros”. O local reúne várias peças do seu acervo acumulado ao longo dos seus 25 anos de história no cinema.

O C2 foi até Guarapari fazer um tour pelo local, um galpão de 400 metros quadrados que foi divido em seis ambientes assustadores (confira fotos na página 3). A porta de entrada é o cenário da mais recente obra do capixaba, que ainda está em fase de pós-produção. O local serviu de estúdio para “O Cemitério das Almas Perdidas” e logo depois das gravações os personagens ganharam a companhia de outros bonecos em tamanho real de filmes de Rodrigo, como “Mangue Negro” (2008), “A Noite dos Chupacabras” (2011), “Mar Negro” (2013) e “A Mata Negra” (2018).

 

 O cineasta Rodrigo Aragão no galpão que transformou no museu de terror
Foto:Marcelo Prest
O cineasta Rodrigo Aragão no galpão que transformou no museu de terror

 

 

TOUR

Passeando pelos labirintos mal-assombrados, é possível esbarrar com o zumbi caranguejo e a baleia zumbi do “Mar Negro”, a loira do banheiro, o monstro do esgoto e o saci da antologia cinematográfica brasileira “As Fábulas Negras” (obra de 2014 dirigida por Rodrigo, Joel Caetano, Petter Baierstorf e José Mojica Marins, o Zé do Caixão) e o mausoléu de “O Cemitério das Almas Perdidas”, pano de fundo para cenas assustadoras do novo filme.

A ideia de Rodrigo é que a exposição seja itinerante. Depois de Guarapari, ele pretende levar suas criaturas para outras cidades do Estado do país. Além de conferir os monstros, é possível vê-los em cena através da tecnologia QR Code.

“Comecei a fazer cinema por causa do making of de ‘Guerra nas Estrelas’. Sempre adorei a possibilidade de ver ao vivo o que está na tela. O objetivo é mostrar para as pessoas o trabalho que dá fazer um filme e que ele é produzido aqui mesmo, em Guarapari. Todos meus filmes foram rodados aqui, numa cidade que eu amo. O grande diferencial desta vez é que não quero assustar a plateia”, diz o cineasta.

25 anos

Rodrigo começou a trabalhar com efeitos especiais em 1994, mas seu primeiro longa-metragem só foi lançado em 2008. Seu pai era mágico e dono de cinema, por isso, universo fantástico sempre esteve a sua volta. “Todo mundo me achava estranho”, brinca.

Autodidata, o cineasta coleciona 25 prêmios ao longo dos seus 25 anos de carreira. O mais recente foi a conquista como Melhor Roteiro no Fantasporto (Festival Internacional de Cinema Fantástico do Porto).

“Minha formação foi muito de oficinas. Fiz desenho, pintura, escultura, teatro de boneco, tudo que achasse que poderia me ajudar, já q não havia cursos específicos”, diz.

A vontade de compartilhar conhecimento faz Rodrigo ministrar oficinas em todo o mundo. De malas prontas para dar cursos na Bolívia, na volta, em maio, abre as portas do museu para realizar oficinas de efeitos especiais, aos sábados, e interpretação de atores para cinema quartas e sextas.

“Comecei sozinho, mas pra mim é muito importante formar equipe. A maioria das pessoas que trabalha comigo, principalmente na área de efeitos, passaram por oficinas minhas, reconheci o talento e convidei pra trabalhar comigo, por isso é importante compartilhar”, opina.

 

 

SERVIÇO

Museu dos Monstros

Visitação: de terça a sábado, das 14h às 19h

Onde: Rua Antônio Lira Monjardim, Galpão 3, Praia do Morro, Guarapari.

Quanto: R$ 10 (pacotes especiais para grupos e escolas interessadas)

Informações: (27) 99967-8923.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online