Vitória recebe workshop e palestras sobre dança negra contemporânea

Programação, totalmente gratuita, acontece nos dias 16, 17 e 18 de maio

Publicado em 13/05/2019 às 11h26

Cena da apresentação do grupo Balé África Brasil
Foto:HCDC Produções Artísticas/Divulgação
Cena da apresentação do grupo Balé África Brasil

Vitória vai sediar, pela primeira vez, o Ateliê de Ideias, evento que promove a cultura negra no Espírito Santo. Os workshops e palestras, que acontecem entre os dias 16 e 18 de maio, serão abrigados pelo Palácio da Cultura Sônia Cabral e o Mucane, no Centro da Capital, com mesas de debate sobre o papel da dança afro e do histórico da prática no Estado. A programação é totalmente gratuita e, por noite, se apresentarão cerca de seis atrações após os workshops.

Vale lembrar que para assistir as apresentações, basta aparecer no Palácio Sônia Cabral. Já os workshops estão com vagas esgotadas.

Segundo o idealizador do evento, Elídio Netto, os convidados vão mostrar na teoria e na prática a importância da dança negra contemporânea, como ela se dá no Espírito Santo, no Brasil e no mundo. "Teremos dança, apresentação e aulas da dança e de como ela é importante na nossa identidade. Quando ela chegou ao Brasil, ganhou muitas influências como ganha até hoje", adianta.

Foto:HCDC Produções Artísticas/Divulgação

Elídio conta que o evento ganhou apoio do Itaú Cultural, que vai ceder alguns artistas que são referência na área para falarem sobre a dança e da experiência própria que têm com o ritmo. "A programação é toda gratuita e para os workshops, por exemplo, já não temos mais vagas", comemora.

O evento foi dividido em três dias e serão três fases. Teremos programa de dia e de noite. É muito legal produzir isso aqui porque somos um Estado muito rico em cultura. Nosso carnaval, nosso congo, as pessoas precisam conhecer
Elídio Netto, idealizador do evento

CRIATIVIDADE ARTÍSTICA

Leia também

De acordo com o administrador do Sônia Cabral, Renan Oaks, a diversidade de linguagens revela a

criatividade artística

produzida atualmente no Espírito Santo. “O resultado foi bem diversificado, na programação do palácio desta vez, atendendo um pouco de cada área artística. Observamos cada detalhe dos projetos e penso que o resultado foi justo, de acordo com as inscrições”, destaca.

O QUE É DANÇA NEGRA CONTEMPORÂNEA?

No Brasil, a história da dança negra é muito extensa, como explica o idealizador do evento. "Você traz a dança africana e a associa a várias outras culturas, quando chega ao Brasil", conta. Ele lembra que aos poucos o gênero foi adaptado ao corpo e ritmo brasileiros. "E o objetivo é conscientizar e difundir a cultura negra no Brasil atual, desde a simbologia da dança", conclui.

PROGRAMAÇÃO

16 DE MAIO

Palácio Sônia Cabral

14h - Dança dos Orixás, com Clésio Júnior

15h - Escrita e performance, com Cibele Verrangia

17 DE MAIO 

Palácio Sônia Cabral

17h - Mesa de debate: Patrimônio Afro-brasileiro no Espírito Santo e o Carnaval em Vitória, com Jocelino Júnior, Aissa Guimarães, Osvaldo Garcia e Edson Bomfim

Mucane

9h - Capoeira através da dança, com Tiago Amorim

10h30 - Corpo arquivo dança negra contemporânea, com Elídio Netto

13h - Danças urbanas e sua forma contemporânea, com Pablo Sheko

15h - O corpo negro pluridimensional na dança contemporânea, com Markús Konká

18 DE MAIO

Palácio Sônia Cabral

17h - Meda de debate: Trajetória da dança negra no Espírito Santo, com Sarita Faustino, Ariane Meireles, Renato Santos, Gil Mendes e Markus Konká

Mucane

13h - Dança afro, com Giovana Gonzaga

14h - Dança contemporânea, com Gil Mendes

15h - Samba no pé, com Izabela Azevedo

Compartilhe



Mais no Gazeta Online