Dia dos Namorados: selecionamos 10 filmes para ver juntinho do crush

A dica é curtir um filme ao lado do "mozão', seja em casa, pela TV, celular, computador ou tablet

Publicado em 12/06/2019 às 09h31

Dá para ser romântico sem perder a ternura, e muito menos sem ficar com as contas no vermelho. Se a grana está curta para um jantar a dois (ou mesmo para pegar um cineminha) no Dia dos Namorados, a dica é curtir um filme ao lado do "mozão', seja em casa, pela TV, celular, computador ou tablet.

Aproveitando a onda romântica da época, o Gazeta Online dá dicas de 10 filmes para os corações apaixonados. Agora, só falta a pipoca, muitos beijos e amassos, para embalar a sessão.

> Como preparar a noite do Dia dos Namorados sem se sacrificar

1) "Megarrromântico" (2019)

O que é: Natalie é uma arquiteta cética em relação ao amor. Ao despertar em um hospital, descobre que, misteriosamente, foi parar dentro de um filme de comédia romântica.

Por que ver: pelo talento da impagável Rebel Wilson ("A Escolha Perfeita", de 2012). A pegada debochada do cineasta Todd Strauss-Schulson ("Um Natal Muito Louco", de 2011) transforma essa comédia de erros em uma delícia de se ver e rever. O melhor: dá para ver na Netflix.

2) "Hoje eu Quero Voltar Sozinho" (2014)

O que é: um adolescente cego tenta conquistar a sua independência. Quando o fofo Gabriel chega na cidade, novos sentimentos mudam o seu dia a dia.

Por que ver: Com mais de 20 prêmios internacionais, o filme de Daniel Ribeiro transborda delicadeza ao retratar a magia do primeiro amor, seja gay, hétero ou de outros gêneros. Também pode ser conferido na Netflix

3) "A Barraca do Beijo" (2018)

O que é: garota tenta convencer o galã da escola a participar de uma barraca do beijo. Lógico que eles acabam se apaixonando.

Por que ver: vanguardista sucesso da Netflix que resgata as comédias dos anos 1980, especialmente as dirigidas pelo mago John Hughes ("Clube dos Cinco"). É impossível não cair de amores pelo casal interpretado por Jacob Elordi e Joey King, que são namorados na vida real.

4) "Apenas um dos Rapazes" (1985)

O que é: Terry perde a chance de um estágio de verão e, convencida de que foi vítima de machismo, decide reapresentar sua matéria disfarçada de garoto em outra escola, onde arruma uma admiradora e se apaixona por um amigo.

Por que ver: clássico dos anos 1980 reprisado várias vezes pela "Sessão da Tarde", da TV Gazeta. Atualmente, está em exibição nos canais HBO e Cinemax. O carisma da atriz Joyce Hyser, que vive a abusada Terry, conquista fãs até hoje.

5) "Gatinhas e Gatões" (1984)

O que é: uma adolescente se apaixona pelo namorado da amiga e, para complicar ainda mais, os pais da jovem esquecem do aniversário dela.

Por que ver: integrante do catálogo da Netflix, é um dos filmes mais românticos e mais queridos de John Hughes. O longa, também, consagrou Molly Ringwald, a heroína dos adolescentes da década de 1980.

>Pessoas de 50+ são as que mais buscam namoro em sites e aplicativos

6) "Um Lugar Chamado Notting Hill" (1999)

O que é: um tímido dono de uma livraria londrina se apaixona por uma estrela de cinema de Hollywood. Os pombinhos lutam com unhas e dentes para o romance - fadado ao fracasso - dar supercerto.

Por que ver: pela química do casal interpretado por Julia Roberts e Hugh Grant e pelo humor tipicamente britânico do filme, o que garante boas risadas. Em exibição no Telecine e, também, disponível na Netflix.

7) "Uma Linda Mulher" (1990)

O que é: garota de programa boa gente se apaixona - e muda o coração - por um empresário durão que nunca conheceu o amor. Tudo embalado por belas paisagens de Los Angeles.

Por que ver: quem nunca se apaixonou pelo casal vivido por Julia Roberts (sempre ela) e Richard Gere (no auge do charme quarentão)? O conto de Cinderela moderno de Garry Marshall também conta com uma trilha sonora inesquecível. Destaque para a belíssima "It Must Have Been Love", do Roxette. Disponível no Telecine e Netflix.

8) "Me Chame pelo seu Nome" (2017)

O que é: a descoberta do primeiro amor do jovem e inteligente Elio (Timothée Chalamet) veio nos braços do inseguro Oliver (Armie Hammer), um estudioso americano que se hospeda na casa da família do rapaz, na Itália.

Por que ver: vencedor do Oscar de Roteiro Adaptado (um reconhecimento merecido ao mestre James Ivory), o filme encanta por seu discreto homoerotismo e talento inquestionável de Timothée Chalamet. Em cartaz no canal HBO.

9) "Para todos os Garotos que já Amei" (2018)

O que é: Lara (Lana Condor) escreve cartas de amor secretas para todos os seus antigos paqueras. Um dia, essas cartas são misteriosamente enviadas para suas paixões platônicas, virando sua vida de cabeça para baixo.

Por que ver: mais um resgate afetivo dos anos 1980 (em especial ao clássico "Admiradora Secreta", de 1985) proposto pela Netflix. O carisma dos protagonistas Noah Centineo (nova estrela de Hollywood) e Lana Condor conquistam o público.

10) "Meu Eterno Talvez" (2019)

O que é: amigos de infância, Sasha (Ali Wong) e Marcus (Randall Park) se reencontram depois de anos separados. Quando ela volta para São Francisco para abrir um restaurante, os dois retomam sua amizade, mas, rapidamente, Marcus se vê apaixonado pela chef de cozinha.

Por que ver: o filme é superfofo e encanta por sua simplicidade (típico dos orientais) e pelo talento dos atores Ali Wong e Randall Park. A participação surpresa de Keanu Reeves (interpretando ele mesmo) dá um charme a mais ao filme.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online