BIB Transcol: 199 mil obras emprestadas e muita história a contar

Dona Elenir é a leitora campeã das bibliotecas do Sistema Transcol, que se mantém como impulsionador da leitura no Espírito Santo

Publicado em 12/07/2019 às 18h56

Atualizado em 15/07/2019 às 10h16

Data: 12/07/2019 - ES - Vila Velha - Dona Elenir Pretti Vasconcellos, a leitora mais assídua da Biblioteca Transcol, no Terminal de Vila Velha
Foto:Fernando Madeira
Data: 12/07/2019 - ES - Vila Velha - Dona Elenir Pretti Vasconcellos, a leitora mais assídua da Biblioteca Transcol, no Terminal de Vila Velha

Ao receber o prêmio Nobel de Literatura, em 2010, Mario Vargas Llosa afirmou categoricamente: "um mundo sem literatura se transformaria em um mundo sem desejos, sem ideais, sem desobediência. Um mundo de autômatos privados daquilo que torna humano um ser humano: a capacidade de sair de si mesmo..."

A afirmação apaixonada do mestre peruano contrasta com um dado alarmante no Brasil: em terras tupiniquins, lê-se, em média, 2,43 livros por ano, segundo dados mais recentes de 2016, de acordo com o IBGE. Isso, certamente, é impulsionado pela realidade de um país com 11,8 milhões de analfabetos e em que sete, em cada dez estudantes do ensino médio, têm proficiência insuficiente em Língua Portuguesa.

>Djamila Ribeiro: 'É hora de brancos lutarem contra racismo'

O acesso à leitura, porém, ainda resiste. No Estado, temos o exemplo da Biblioteca Transcol - hoje chamada de BIB Transcol -, que atende à população que circula diariamente nos terminais de ônibus do Sistema Transcol. Atualmente, há espaços de empréstimos gratuitos de livros em todos os terminais: Jacaraípe, Laranjeiras e Carapina, na Serra; Vila Velha, Ibes e São Torquato, em Vila Velha; e Jardim América, Itacibá e Campo Grande, em Cariacica. Itaparica conta com uma unidade fechada devido à reforma do terminal

Os números, porém, ainda são modestos. Em média, 1,3 mil obras são emprestadas por mês pelo empreendimento. Pouco para um sistema que recebe mensalmente 15,5 milhões de passageiros e conta com quase 18 mil exemplares disponíveis, segundo a Secult, que coordena o projeto.

E olha que o modelo das BIB Transcol evoluiu de acordo com o avanço da tecnologia. Hoje, o usuário tem acesso a bibliotecas digitais funcionando com computadores em cada unidade. Eles permitem aos associados (que, em 2019, somam 22 mil) acesso gratuito à internet banda larga.

Durante os últimos anos, de janeiro de 2013 a julho de 2019, foram emprestados cerca de 199 mil livros - lembrando que o sistema foi inaugurado em 2007, quando o Terminal de Laranjeiras, na Serra, ganhou a primeira unidade do BIB Transcol. As bibliotecas do Transcol funcionam de segunda a sexta, das 11h30 às 19h30.

POESIA

Em meio a números desanimadores, encontramos espaço para a poesia. A paixão pela leitura impulsiona a maior usuária da BiB Transcol, a assistente social, agora aposentada, Elenir Pretti Vasconcellos, de 76 anos, moradora de Vila Velha.

>Autores capixabas levam símbolos do Estado para a Flip

Elenir pegou emprestado 73 livros em 2018. Você, caro leitor, conhece alguém que "devora", como ela diz, mais de 70 livros em um ano? "Não leio somente livros. Sou assinante de três revistas mensais e, sempre que dá, também compro jornais. Ler dá sentido a minha vida", ressalta, com o brilho nos olhos.

A superleitora não tem um gênero preferido. "Só não gosto de terror. Fico muito assustada", brinca, revelando que costuma acompanhar o trabalho de J. K. Rowling, autora da série "Harry Potter". "Comecei a ler para ter assunto com os meus netos. Gosto, acho divertido. Atualmente, estou conferindo 'Morte Súbita' (2012), também da autora".

Dizendo ser eclética, confessa ter devorado todos os livros de Jorge Amado e da autora de obras espíritas Zibia Gasparetto. "Também acompanho o trabalho de Nicholas Sparks, suas obras nos inspiram a enfrentar os problemas do dia a dia", destaca.

> Luta e resistência de mulheres para criação de Academia de Letras

"Também gosto de reler títulos que me marcaram. É difícil escolher qual obra é a mais importante que já li", reclama, parando para pensar... Após suspirar lentamente, revirou os olhos e encontrou a resposta à pergunta da reportagem. "'O Físico', de Noah Gordon, e "Médico de Homens e de Almas", de Taylor Caldwell, são inesquecíveis".

Elenir virou uma espécie de consultora para a renovação do acervo da Biblioteca Transcol. Sempre que conhece uma obra nova, indica para ser adquirida pela biblioteca. "Ler, para mim, é como viajar para novos mundos e conhecer novas culturas. Os jovens deveriam embarcar nessa fantasia. É uma delícia", suspira.

NOVIDADES

Biblioteca Transcol, Terminal de Vila Velha
Foto:Fernando Madeira
Biblioteca Transcol, Terminal de Vila Velha

 

 

E os leitores da BIB Transcol podem esperar novidades para a iniciativa. Ana Maria da Silva, gerente do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Espírito Santo, afirma (para alívio dos moradores de Vila Velha) que a unidade do Terminal de Itaparica estará de volta, remodelada, logo após a reforma do terminal, ainda sem data para a conclusão.

"Além disso, estamos implantando várias novidades. Para 2019, temos o projeto que visa uma maior acessibilidade à leitura. Estamos também com livros em braille e audiolivros", complementa.

> Francisco Grijó lança o romance policial "Fama Volat"

A gestora destaca alguns fatores que, a seu ver, podem explicar o baixo número de leitores do país. "São várias questões envolvidas. O baixo poder aquisitivo da população, o preço salgado dos livros e a ausência de bibliotecas comunitárias na maioria dos bairros periféricos conta muito”, acredita.

Ana diz que a Biblioteca Transcol tem contribuído para modificar esse cenário. “Trata-se de um projeto que visa atender à população com pouco acesso aos bens culturais. Além de empréstimos de livros, garantimos acesso gratuito à internet banda larga”, conta, revelando que a iniciativa estuda a possibilidade de empréstimos de livros digitais, os chamados e-books, por meio do projeto Biblioteca Digital do Estado do Espírito Santo (BDES).

Compartilhe



Mais no Gazeta Online