'A depressão é uma morte em vida', diz Priscila Fantin

Atriz falou do período em que enfrentou a doença

Publicado em 16/02/2018 às 20h10

Prsicila Fantin e Bruno Lopes, no camarote Brahma, curtindo o 2º dia de desfiles das escolas de samba de São Paulo
Foto:Leo Cavallini / Divulgação
Prsicila Fantin e Bruno Lopes, no camarote Brahma, curtindo o 2º dia de desfiles das escolas de samba de São Paulo

A carreira promissora não foi suficiente para evitar que Priscila Fantin desenvolvesse depressão. No entanto, ela conta que o teatro foi parte fundamental para que ela superasse o transtorno.

"A depressão é uma morte em vida. Você não sente nada, nem tristeza, nem raiva, alegria, nada", disse a Mariana Godoy sobre o problema de saúde que enfrentou em 2008.

Leia mais notícias de Entretenimento

"O esporte me ajudou muito. Me ajudou a sair da estagnação. [...] O teatro também é muito curativo, transformador. Me ajudou bastante", explicou a atriz.

Além desse período conturbado, Priscila também comenta sobre os trabalhos sociais que realiza. "Tenho uma preocupação humana muito grande. Acho que falta humanidade para os humanos. A gente se olha muito pouco no olho e estende muito pouco a mão. Tem muita gente precisando."

Compartilhe



Mais no Gazeta Online