Filha de Tunico da Vila com capixaba morre após cirurgia

Madalena nasceu com uma cardiopatia e não resistiu à primeira cirurgia que foi submetida, aos 10 dias de idade

Publicado em 06/01/2019 às 15h59

Déborah Sathler e Tunico da Vila com a pequena Madalena do Espírito Santo, no Perinatal Barra, hospital do Rio de Janeiro
Foto:Arquivo pessoal
Déborah Sathler e Tunico da Vila com a pequena Madalena do Espírito Santo, no Perinatal Barra, hospital do Rio de Janeiro

Madalena do Espírito Santo, fruto do relacionamento de Tunico da Vila com a jornalista capixaba Déborah Nicchio Sathler, morreu por volta das 11h30 deste domingo (6) em hospital do Rio de Janeiro, onde já estava internada desde que nasceu, há 14 dias. A bebê, foi submetida a uma cirurgia no coração e precisaria passar, ainda, por outras três, mas não resistiu.

Ainda no hospital na manhã deste domingo (6), Tunico e Déborah receberam a visita do avô paterno da criança, Martinho da Vila, que foi se despedir de Madalena e dar apoio ao filho e nora.

Madalena, que nasceu prematura de oito meses, deve ser enterrada no jazigo da família de Tunico no Cemitério Jardim da Saudade, no Rio, ainda nesta segunda-feira (7).

> Tunico da Vila: "Minha missão é dar um novo respiro de cultura"

De acordo com Déborah, os médicos avisaram sobre a gravidade da cirurgia, mas era a única saída para tentar aumentar as chances de vida de Madalena. "A cirurgia mudou todo o funcionamento do coraçãozinho dela, já que ela tinha nascido com uma cardiopatia grave. O coração chegou a bater, normalmente, após a intervenção, mas os outros órgãos não aceitaram a cirurgia", detalha.

Ninguém imagina a dor que é segurar uma filha morta no colo
Déborah Sathler, esposa de Tunico da Vila, mãe de Madalena do Espírito Santo que morreu aos 14 dias de idade

A jornalista explica que Madalena foi submetida ao primeiro procedimento de três com 10 dias de idade. Esse era o prazo máximo para que a intervenção fosse feita. "Nós esperamos o máximo que deu. E essa primeira cirurgia, embora fosse a mais arriscada, ainda não era a cura. Ela precisaria passar por ao menos outras duas intervenções", conclui.

Pelos próximos meses, Tunico da Vila e Déborah devem permanecer no Rio de Janeiro e não voltarão ao Espírito Santo. O artista tem uma agenda de shows para cumprir na Cidade Maravilhosa e, depois de executados os compromissos, o casal avaliará se vai voltar a viver em Vitória, capital capixaba.

NÃO QUISERAM INTERROMPER A GRAVIDEZ

Quando foi diagnosticada com a malformação congênita na parte esquerda do coração de Madalena, o casal teve a oportunidade de optar por interromper a gravidez. Mas isso não era uma solução para Déborah e Tunico.

Até pela delicadeza da situação, os pais de Madalena do Espírito Santo decidiram se mudar para o Rio de Janeiro, para fazer um acompanhamento no Perinatal da Barra. O médico escolhido foi o doutor Jefferson Magalhães, da equipe carioca.

DESABAFO

Nas redes sociais, Déborah fez um desabafo em que agradece à filha Madalena pela oportunidade de tê-la amado por 14 dias, agradece ao médico responsável pelo acompanhamento de sua gestação e a Tunico da Vila pelo companheirismo. Leia na íntegra: 

Compartilhe



Mais no Gazeta Online