Candidato ao Mister Brasil é ofendido na web: "Existem gays racistas"

Após vencer uma das etapas do Mister Brasil, suspeitos invadiram suas redes sociais e deixaram mensagens de ódio contra o modelo, que hoje também decidiu se tornar ativista

Publicado em 24/04/2019 às 09h37

Foto:CO Assessoria/Divulgação

O paulista Max Souza, de 24 anos, modelo e ativista gay, foi o primeiro negro a vencer o concurso de beleza em Lins, cidade de São Paulo, que o dá a chance de entrar no concurso nacional, o Mister Brasil.

Apesar de quebrar barreiras, na internet a reação foi contrária. “Tive muitos comentários positivos, me parabenizando com a vitória e sou grato com isso, mas infelizmente um deles foi muito ofensivo, um comentário cheio de ódio, cheio de preconceito apenas por causa da minha cor”, explica.

Foto:CO Assessoria/Divulgação

Comentários como “deveria voltar para a Senzala” e "viadinho" foram alguns dos distribuídos por internautas em sua última publicação no Instagram, que falava na legenda justamente sobre bullying.

O modelo é casado com o prefeito de Lins, Edgar Souza, e decidiu processar o internauta com base nos procedimentos previstos na Justiça. “Isso é inadmissível, mas como fala o meu companheiro, melhor guardar apenas o que de bom falam", acredita.

Foto:Reprodução/Instagram @maxsouza92

Leia também

Max tem o desejo de ser

ativista gay

e fazer história no Mister Brasil como também ser um dos primeiros negros a vencer a competição.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online