Carnaval de Vitória faz hotelaria da Capital bater recorde em 2019

Hotéis registraram boom na procura em hospedagem para a folia capixaba, alcançando 83,85% de lotação para o período

Publicado em 08/03/2019 às 19h34

Atualizado em 12/03/2019 às 14h41

Vista da praia da Curva da Jurema, em Vitória
Foto:Secundo Rezende/Drone
Vista da praia da Curva da Jurema, em Vitória

Algo inédito aconteceu no Espírito Santo durante o Carnaval de Vitória 2019 - e não foi só a beleza das alegorias no Sambão do Povo e as ruas cheias do Centro Histórico. A rede hoteleira da Capital ficou com ocupação chegando à marca dos 83,85%, o que não era comum em outros anos, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Espírito Santo (ABIH).

O número ficou abaixo do esperado. Em matéria de fevereiro, a associação esperava ter ocupado 90% das vagas dos hotéis na Capital capixaba. Porém, o momento é de comemoração já que a margem ficou próxima do esperado e bateu recorde para o período.

O aumento pela procura de Vitória como destino para a folia demonstra que o Estado finalmente entrou na rota do turismo de lazer e a expectativa é que o cenário se repita até em feriados menores, já que a cidade desponta como atrativa para passeios.

Os dados de 2019 são referentes ao período de uma semana antes do Carnaval de Vitória até o domingo após o último dia do evento. Em 2017, segundo informações do Governo do Estado, a média da taxa de ocupação hoteleira em Vitória foi de 32,4%, enquanto 2018 teve uma leve alta, alcançando 54,5%. 

Segundo o presidente da ABIH, Gustavo Guimarães, uma série de fatores fez com que a ocupação hoteleira em 2019 fosse de 83,85%. "Os órgãos públicos e nós temos feito o nosso trabalho. Vitória tem perdido o público do corporativo e apostado mais no lazer. O crescimento foi ano a ano e hoje chegamos a esse patamar", destaca. 

Nós temos feito uma colaboração com agentes de turismo para fazer capacitações. Isso, também, ajuda a divulgar o Estado. Então, a gente vê que estamos colhendo frutos, mas é um trabalho conjunto
Gustavo Guimarães, presidente da ABIH

A fala do presidente da Companhia de Desenvolvimento, Inovação e Turismo de Vitória (CDV), Leonardo Krohling, dita em fevereiro, complementa o que foi apontado por Gustavo: "Todo esse crescimento que tem tornado Vitória um novo destino de lazer está ligado ao trabalho realizado na Capital, que tem reinventado a sua diversidade econômica, agora voltada para várias atividades, entre elas, o turismo. Acertadamente, a administração municipal tem investido na captação de turistas de lazer e disponibilizando novos produtos e atrativos turísticos para os visitantes", disse Krohling.

O secretário de Cultura de Vitória, Francisco Grijó, explicou, também em fevereiro, que "o fomento do carnaval contribui para a divulgação da Capital e, consequentemente, para ampliação da visibilidade da produção artística para além do nosso Estado. O que contribui para atrair um público cada vez maior para as belezas e cultura da nossa cidade".

VALOR EM CONTA

Gustavo frisa que o fato de a Capital ter um preço médio relativamente baixo também faz com que muita gente opte por conhecer a cidade. "Têm hotéis de R$ 500 e de R$ 100, mas o peço médio da diária gira em torno de R$ 200. Muita gente se sente atraída por isso", conclui.

Krohling ainda complementou: "A cada dia buscamos fazer de Vitória uma cidade reconhecida na Saúde, na Educação, na Segurança, nos negócios, despertando a vontade dos visitantes conhecerem. O trabalho é contínuo e não para por aqui".

Compartilhe



Mais no Gazeta Online