Prato predileto dos brasileiros é o churrasco

Pesquisa revela que o sushi vem em segundo lugar, seguido pela feijoada

Publicado em 09/06/2015 às 17h03

Atualizado em 09/06/2015 às 17h04

A picanha verdadeira tem em torno de 800 gramas, o equivalente, mais ou menos, à palma da mão

O prato favorito do brasileiro é o churrasco. Em seguida, pasmem, vem o sushi. E para completar, a feijoada vem bem atrás, em terceiro lugar. É o que mostra uma pesquisa realizada pelo Groupon realizou uma pesquisa com cinco países da América Latina. Cerca de cinco mil pessoas participaram do estudo, realizado no Brasil, Chile, Argentina, Colômbia e México.



Por aqui, o churrasco, escolhido por 28% dos entrevistados brasileiros, seguido pelo sushi, com 17,5%. A tradicional feijoada ficou em terceiro lugar, com apenas 8,6% das menções. Considerando os cinco países, a culinária italiana é a preferida, com 21% do total, seguida das culinárias argentina (14%) e mexicana (14%). Aliás, 49% dos argentinos preferem comida argentina e 44% dos brasileiros preferem comida brasileira. O sushi é mencionado entre os pratos preferidos em quatro dos cinco países.



No que diz respeito ao comportamento, os brasileiros são os que mais gostam de tirar uma foto para postá-la nas redes sociais: 39% concordam com essa prática; nove pontos percentuais acima da média, que é de 30%. Os brasileiros são também os mais flexíveis com o uso de celulares na mesa: somente 14% dos pesquisados acham que é falta de educação usar o aparelho durante uma refeição, 7% abaixo da média de todos os países. Os argentinos são os mais propensos a dividir a conta igualmente (86%); o Brasil tem o maior índice no quesito “pagar apenas o que se consome”, com 21% das respostas, quase o dobro da média, que é de 12%.



Em ocasiões especiais como aniversários e outras comemorações, a maioria dos respondentes, independentemente de nacionalidade, planeja gastar por volta de R$115 por refeição para duas pessoas. Mexicanos são os que mais gostam de sair para comer: 86% responderam que comem fora pelo menos uma vez por semana, quando a média é 60%.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online