No Dia Internacional da Cerveja, uma bela desculpa para uma gelada

Para "bebemorar" a data, o Prazer & Cia conversou com mestres cervejeiros e sommeliers, listando os tipos de bebidas preferidos do capixaba, os rótulos locais eo que comer harmonizando a bebida

Publicado em 02/08/2019 às 08h24

Atualizado em 02/08/2019 às 10h36

Cerveja
Foto:Fernando Madeira
Cerveja

“Loira gelada”, “breja”, “birita”, “litrão”, “suco de cevada” e até, vejam só!, “gordelícia”... O que vale é uma cerva na mão.

Brincadeiras à parte, o Dia Internacional da Cerveja é comemorado nesta sexta (02). Para “bebemorar” a data, o Prazer & Cia conversou com mestres cervejeiros e sommeliers, listando os tipos de bebidas preferidos do capixaba, os rótulos locais e o que comer harmonizando a bebida.

Antes disso, vamos resgatar a história. Obviamente, a data nasceu em uma mesa de bar. Tudo começou em 2007, em Santa Cruz, Califórnia. A brincadeira começou com quatro amigos: Avshalomov, Evan Hamilton, Aaron Araki e Richard Hernandez.

Eles achavam que a bebida merecia um dia exclusivo. No ano seguinte, iniciaram a promoção da data, e logo ganharam adeptos de cerca de 50 países, inclusive no Brasil.

“Beber cerveja significa celebrar momentos de descontração e alegria já que, onde tem festa, música e amigos, tem cerveja. Celebrar a data na companhia de um bom rótulo é a pedida para um fim de semana memorável”, suspira Taynã Feitosa, jornalista e sommelier que assina a coluna “Bora Tomar Uma?”, publicada na Revista.AG de A GAZETA.

“Já adianto que as Ipas são as queridinhas do momento”, completa.

O QUE COMER?

Você deve estar se perguntando: qual tipo de comida serve para harmonizar com essas cervejas? Matheus Magalhães, chefe sommelier da Cervejaria Bradus (casa de Vila Velha que produz cerca de nove mil litros da bebida por mês) deu alguns dicas.

“Quem está començando a beber agora, indico as Pilsen, que são mais refrescantes e combinam muito bem com uma comida de praia, petiscos e peixes. É a preferida dos brasileiros”, afirma.

Deseja sair do tradicional e experimentar novos sabores? Magalhães cita o estilo Weiss, que é mais ácido e incorpado. “Serve perfeitamente para as comidas alemãs, especialmente as salsichas”.

Data: 31/07/2019 - ES - Vila Velha - Matheus Magalhães, cervejeiro da Cervejaria Bradus, em Vila Velha
Foto:Fernando Madeira
Data: 31/07/2019 - ES - Vila Velha - Matheus Magalhães, cervejeiro da Cervejaria Bradus, em Vila Velha

Por sua vez, se você já tem uma certa experiência na arte de beber cerveja, sua pedida é embarcar na IPA. Por ser amarga, hamorniza muito bem com as comidas gordurosas.”É a cerveja da moda dos capixabas. Todo mundo pede uma, principalemente acompanhado de um suculento hambúrguer”.

Para o inverno, Matheus indica a Stout. “É forte e incorpada, porém, tem um aroma doce, frutado, com notas de café e chocolate. É perfeito para comer com uma sobremesa, como bolos e tortas”, indica.

E para as mulheres? Elas gostam mesmo é das cervejas mais fortes. Nada de doçuras e coisas do tipo. “Hoje, a maioria prefere as mais marcantes, como a IPA e a Stout”, complementa o sommelier.

TIPOS DE CERVEJA MAIS POPULARES

STOUT

Bem escura e incorpada, é típica da Inglaterra e da Irlanda. Casam perfeitamente com o estilo doce e seco. Há cervejas feitas com chocolate e até aveia. No início, era usada como uma forma de fortificante para trabalhadores braçais e lactantes. Beba comendo doces, bolos e chocolates.

PILSEN

É da ala tradicional da bebida e a mais consumida. Levíssima, transparente, com um “brilhante” colarinho, super-refrescante e ótima para tomar comendo frutos do mar.

ALE

São de alta fermentação. Esse processo químico cria bebidas com aroma de frutas e especiarias. Combina com bacalhau, cordeiro grelhado, frango assado e kebab de carne.

WEISS

Cerveja branca, bem no estilo alemão. São, normalmente, leves e refrescantes. Muitas contam com aromas de banana e cravo. São parecidas com a Pilsen, porém, mais turvas e ácidas devido ao fermento em suspensão. Ótimo para acompanhar peixes.

IPA

A queridinha dos capixabas e mais pedida nas cervejarias artesanais do pais. É conhecida por seu amargor e apresentam um teor alcoólico que, tradicionalmente, vai de 5,5 a 7,5%. A dica é comer com alimentos gordurosos, como carnes vermelhas.

BOCK

É uma cerveja marrom, avermelhada e bem forte. O teor alcóolico chega a 8%. O sabor de malte pode lembrar caramelo, toffee e amêndoas. Deguste comendo queijos semiduros e bisteca suína.

WITBIER

São feitas à base de trigo. Normalmente são leves e refrescantes e levam na receita sementes de coentro e cascas de laranja. São cítricas, de sabores frustados. Harmoniza bem com saladas leves.

MERCADO DE CERVEJA ARTESANAL CRESCE NO ESTADO

O Dia Internacional da Cerveja é comemorado hoje (leia mais na capa). No Brasil, onde a “loira gelada” é uma paixão nacional, o setor de produção caseira não para de crescer. Só em 2018, por exemplo, cerca de 185 novas fábricas foram registradas no país.

O Espírito Santo, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), já é o oitavo maior produtor do país, com cerca de 23 cervejarias artesanais em pleno vapor.

Taynã Feitosa, sommelier e colunista da "Revista.AG", deu dicas de cerveja
Foto:Arquivo Pessoal
Taynã Feitosa, sommelier e colunista da "Revista.AG", deu dicas de cerveja

“Precisamos celebrar a crescente do mercado de cervejas artesanais capixabas, já que o Estado já conta com mais de 20 cervejarias com registro e desponta a cada ano ganhando concursos cervejeiros e produzindo boas cervejas com características que valorizam nossa cultura local”, afirma Taynã Feitosa, jornalista e sommelier que assina a coluna “Bora Tomar Uma?”, publicada aos domingos, na “Revista.AG” do jornal A GAZETA.

Taynã, inclusive, aceitou o convite do “Prazer & Cia.” listando cinco tipos de cerveja que estão fazendo a cabeça dos capixabas por sua qualidade e excelência de sabor.

Para a especialista, o crescimento no setor de produção da cerveja artesanal no Estado, que hoje conta com cerca de 23 fábricas, dá-se por uma grande demanda do mercado consumidor. Além disso, também destaca o profissionalismo de nossos produtores.

“Já contamos com marcas consolidadas e estamos produzindo excelentes rótulos. Entre as mais consumidas pelos capixabas, estão Pilsen, Red Ale, Weiss, IPA e Stout”, cita. Taynã, inclusive, deu dicas de cervejas imperdíveis produzidas no Estado. Confira abaixo.

5 RÓTULOS PARA DEGUSTAR

SICILIANA WHITE IPA

Kingbier

Com refrescância garantida e amargor na medida, essa IPA clara da cervejaria Kingbier foi eleita a segunda melhor do seu estilo na Copa das Cervejas, em 2017. Tem corpo mais leve e as notas de limão siciliano são evidentes. Av. Álvares de Azevedo, 13, Riviera da Barra, Vila Velha. (27) 3244-3343.

SOUR DE AMORAS NEGRAS

Cervejaria Trarko

Aromática, leve e extremamente refrescante, a nova cerveja sour da Cervejaria Trarko, de Domingos Martins, traz como ninguém o sabor das frutas produzidas na região das montanhas capixabas ao primeiro gole. Acidez na medida, daquelas que a gente toma várias e várias sem enjoar. Av. Presidente Vargas, 782, Centro, Domingos Martins. (27) 3268-1808.

MOSAIC AMERICAN PALE ALE (MAPA)

Cervejaria Hood

Mais uma cerveja incrível e reconhecida. A MAPA ganhou, no ano passado, como melhor cerveja no estilo American Pale Ale (APA) na Copa da Cerveja. Com amargor sutil e bem equilibrada, agrada em cheio que gosta de cervejas com presença de lúpulos mais cítricos. R. José Pena Medina, 216, Praia da Costa, Vila Velha. (27) 3534-2049.

STOUT

Cervejaria Barba Ruiva

Equilibrada e com notas bem presentes de toffee e caramelo, a cerveja tem dulçor e amargor vindo dos maltes e dos lúpulos na medida. Ideal para quem gosta de cervejas escuras, esse rótulo pede a companhia de uma sobremesa como tiramisù ou brownie com chocolate meio amargo e caramelo. Rod. João Ricardo Schorling, Domingos Martins. (27) 3268-1223.

IMMIGRATI BELGIAN STONG ALE

Cervejaria Altezza

Cerveja para ser apreciada a cada gole, por conta da sua composição de maltes e fermentação diferente do padrão, que trazem notas de cravo, frutas, caramelo e álcool. Complexa e bem alcoólica, essa Belgian Strong Ale produzida em Venda Nova do Imigrante vai bem com sobremesas e tem teor alcóolico de 9,5%. Estrada Vai e Vem, s/n, Distrito de São José de Alto Viçosa. (28) 99989-3311.

SERRA RECEBE FEIRA DE CERVEJA ARTESANAL

A Serra recebe, nos dias 15 e 16 de agosto, a ExpoBrew – Feira Brasileira da Cerveja Artesanal Independente, que será realizada no Parque de Exposições Floriano Varejão. Ao todo, quatro programações diferentes vão compor a feira.

A primeira delas é a feira de exposição de fornecedores do setor. Lá, os visitantes poderão conhecer diferentes tipos de equipamentos e maquinários, além de produtos voltados para as fábricas. O Harmoniza Beer será um espaço dedicado às marcas de todo o Brasil, para comercialização de seus rótulos. Além disso, a feira ainda terá palestras sobre o mercado e troca de experiências entre profissionais. Ainda é possível participar da programação e todas as informações estão disponíveis em www.abracerva.com.br.

Outra programação que acontece paralelamente à ExpoBrew é a segunda edição do concurso nacional da cerveja artesanal independente. A 2ª Copa Cerveja Brasil inicia já no dia 13, com a análise das amostras e segue até 16 de agosto, data em que será realizada a premiação dos rótulos vencedores.

As marcas interessadas em participar da competição ainda podem garantir vaga pelo site www.copacervejabrasil.com.br. As cervejas serão avaliadas de acordo com o guia Brewers Association 2018 (BA), com acréscimo da Catharina Sour – estilo brasileiro reconhecido recentemente. Poderão participar do concurso cervejarias artesanais independentes e ciganas, não vinculadas com grandes grupos econômicos do setor e com produção anual em 2018 de 50 mil hectolitros.

Compartilhe



Mais no Gazeta Online