Notícia

Agência de viagem decreta falência e deixa escolinha de futebol na mão

O prejuízo acumulado para os atletas do Grêmio Factory Players pode chegar a R$ 150 mil. E time ainda não sabe se conseguirá participar de competição internacional no próximo sábado (13)

Atletas do centro treinamento Gremio Factory Players
Atletas do centro treinamento Gremio Factory Players
Foto: Divulgação

Um sonho se tornou um pesadelo para pais e atletas do Grêmio Factory Players, um centro de treinamento de futebol para crianças e adolescentes em Vitória. Com viagem marcada para Aparecida de Goiânia (GO) neste sábado (13) para participarem da Gol Cup, um campeonato mundial de futebol 7 na categoria sub-10, cinquenta pessoas receberam a notícia da agência de viagem que tudo estava cancelado porque a empresa decretou falência.

O pacote, que custou R$ 3.425,00 para cada um, incluía passagens aéreas, hotel, alimentação, transfer e inscrição na competição e já estava pago, somando mais de R$ 150 mil. Um dos sócios do Gremio Factory Players, Pablo Calenzane contou como descobriu que estavam sendo lesados pela agência de viagem.

Atletas do centro treinamento Gremio Factory Players
Atletas do centro treinamento Gremio Factory Players
Foto: Divulgação

"Eu percebi que eles estavam demorando para mandar os bilhetes aéreos e precisava dessas informações para passar para os pais e fazermos toda a logística da viagem. Então na segunda-feira (08) entrei em contato com a Paula, dona da agência Vollare Viagens e ela não me mandou os bilhetes. Mais tarde ela enviou um e-mail para meu sócio decretando falência e deixando todos nós na mão. Agora você imagina como ficaram nossos atletas, os pais deles? Alguns não tinham condições de pagar a viagem, e a família fez cofrinho, teve gente que vendeu chup chup para participar desse campeonato. Estamos desesperados", conta Pablo, que disse ter viajado em 2017 e 2018 com a agência e esta seria a terceira vez.

Com menos de uma semana para o campeonato começar, Pablo, apesar do duro golpe, disse não ter desistido de levar as crianças para a competição. Ele já foi à polícia, fez boletim de ocorrência contra a agência, mas sabe que precisará de outros meios para arrecadar fundos, já que para reaver esse montante será preciso entrar na Justiça.

"Estou correndo atrás de empréstimo, vender carro, pedir apoio de empresas de ônibus, enfim, temos que dar um jeito de levar esses meninos para a competição. É o sonho deles, é a grande vitrine deles perante aos clubes. Tem clubes de fora do país. Vamos tentar ir de ônibus, é uma viagem longa, de 22 horas, mas não podemos perder esta chance. Foi um duro golpe que sofremos, acredito que a agência agiu de má fé, mas não podemos deixar de levar esses garotos para competir", acrescenta.

Pablo fez as contas e acredita que precisará arrecadar pelo menos R$ 80 mil reais. "Só de hospedagem o valor é R$ 40 mil. Um ônibus que deixe os meninos confortáveis em uma viagem de 22 horas vai custar uns R$ 15 mil. E as inscrições, que a agência também desviou o dinheiro somam R$ 26 mil", descreve. 

A empresa Vollare Viagens foi procurada pela reportagem, mas não atendeu aos telefonemas. 

Ver comentários