Notícia

Caso Daniel: mulher de suspeito buscava casa de swing no Google

Perícia aponta que Cristina Brittes também buscava divórcio e recebeu ameaças do marido

O casal Brittes e Daniel
O casal Brittes e Daniel
Foto: Reprodução

A perícia realizada no celular de Cristina Brittes, esposa do suspeito assassino do jogador Daniel, reforçou a tese de uma testemunha do caso, que o marido Edison teria convidado o atleta para dormir com sua mulher na manhã do dia do crime. De acordo com a investigação, a moça pesquisou por casas de swing no Google, através do celular. As informações são do Tribuna da Massa.

"Ele disse que estava muito louco, que chamou o Daniel para dormir com a mulher dele. Ele (Edison) sabia, a mulher também... Foi um acordo e depois que ele viu realmente que os dois estavam juntos ali na cama, se revoltou e resolveu matar o Daniel", contou uma testemunha em vídeo veiculado no programa.

> Mãe de acusada diz que jogador Daniel foi culpado pela própria morte

Além disso, a perícia constatou que o casal estava em conflito e que a mulher buscava o divórcio. Em conversas no aplicativo WhatsApp, Cris Brittes e Edison trocavam xingamentos. Em um trecho, o suposto assassino do jogador fez até ameaças à esposa. Vale destacar que já existe um Boletim de Ocorrência feito pela moça, onde ela admite que foi ameaçada de morte pelo marido.

O empresário Edison Brittes já confessou ter matado Daniel, alegando que o jogador tentou estuprar Cristiana Brittes, sua esposa, em casa. Por outro lado, a Polícia Civil e o MP-PR (Ministério Público do Paraná) entendem que não houve tentativa de estupro.

> Edison Brittes é transferido após suposto plano de tentativa de fuga

Além do casal, outras quatro pessoas estão presas por envolvimento no crime. Entre elas a filha de Cristiana e de Edison Brittes, Allana Brittes. Também estão detidos Ygor King, David Willian da Silva e Eduardo Henrique da Silva.

A morte

Aos 24 anos, o jogador do São Paulo, que estava emprestado ao São Bento, foi encontrado degolado, nu e com o órgão genital decepado em uma estrada em São José dos Pinhais, no Paraná.

> 'Caso Daniel': crime, barbaridade e reviravoltas em depoimentos

A morte aconteceu no dia 27 de outubro, depois que ele foi espancado em uma festa particular na casa de Edison Brittes, depois de uma noitada em comemoração ao aniversário de 18 anos da filha de Edison e amiga de Daniel. À epoca, o empresário se defendeu dizendo que o jogador tentou estuprar sua esposa em seu quarto.

Ver comentários