Notícia

Haja descongestionante nasal para tanto cheirinho no Flamengo

Como nos últimos anos, Rubro-Negro sucumbe em jogos decisivos e fica longe dos títulos

Por Zé Pitaco

Diego fracassou mais uma vez em um momento decisivo pelo Flamengo
Diego fracassou mais uma vez em um momento decisivo pelo Flamengo
Foto: MAGALHÃES JR./PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A Copa América acabou e eu havia voltado ao meu ano sabático, mas nesse processo não fico alheio ao que acontece no mundo da bola mais precisamente. Na noite da última quarta-feira (17), parei para assistir ao Flamengo de Jorge Jesus para ver se ele era mesmo esse milagreiro que pintam. E não é.  

Tudo bem que são só três jogos à frente do endinheirado Rubro-Negro e deu para perceber que o time está em evolução, mas ela não atingiu todos os estágios necessários. Se sou eu o treinador e vejo meus jogadores cobrando pênalti da forma com que Everton Ribeiro e Diego, o dia seguinte seria de esporro e treinamento de penalidades até a perna inchar, de tanta repetição.

Flamengo perde nos pênaltis e é eliminado da Copa do Brasil

Até eu que não sou flamenguista (provem o contrário!) fiquei pistola. NÃO PODE! Jogo de quartas de final de uma competição do porte da Copa do Brasil, com 70 mil torcedores na arquibancada e protagonizar um papelão daqueles.

No mais, não dá para desmerecer também o bom trabalho do goleiro Santos, que no confronto contra Jesus, prevaleceu a santidade a favor do Athletico-PR. 

Outra coisa: será possível que ninguém da comissão técnica do Flamengo sabia do retrospecto do camisa 10 na hora de pôr a bola na marca da cal?  Caso não saibam, respondo aqui: é um fiasco!

É aquele negócio, cheirinho de novo! Atura ou surta, nação!

Mas sem desespero, heim. Ainda tem o Brasileirão e a Libertadores pela frente. É fácil? Não. Possível, sim. Porém se tudo der errado novamente, ao menos vacina estará em dia.    

Ver comentários