Notícia

Sueca multicampeã Pia Sundhage é a nova treinadora da seleção feminina

Bicampeã olímpica e presente nas últimas três finais, a ex-técnica dos EUA assume a seleção mirando Tóquio-2020

A sueca Pia Sundhage é a nova treinadora da seleção brasileira feminina
A sueca Pia Sundhage é a nova treinadora da seleção brasileira feminina
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Pia Sundhage esteve nas últimas três finais olímpicas: duas medalhas de ouro e uma de prata. Seu trabalho a transformou em uma referência mundial. E a partir de agora, ela assume o comando da seleção brasileira feminina.

Bicampeã olímpica com os Estados Unidos, a treinadora de 59 anos estava à frente do desenvolvimento da base da seleção sueca e aceitou a proposta para escrever novos capítulos de sua vitoriosa história no País do Futebol. CBF e Pia firmaram um compromisso inicial de dois anos, com possibilidade de renovação por igual período.

"A escolha da Pia reflete a nova dimensão que vamos imprimir ao futebol feminino no Brasil. A partir da sua chegada, desenvolveremos um planejamento totalmente integrado entre a Seleção Principal e a base, equilibrando objetivos de curto prazo, como Tóquio 2020, com a renovação contínua dos nossos talentos. Pia reúne a experiência e o talento perfeitos para isso",  afirmou o presidente da CBF, Rogério Caboclo, que completou:

> Gabi Zanotti festeja Copa do Mundo histórica: "Que não seja passageiro"

"É uma enorme alegria termos essa lenda do futebol feminino no nosso time. Na busca permanente por inovação e excelência, teremos pela primeira vez, uma treinadora estrangeira comandando a Seleção Brasileira Feminina."

Ela chega para substituir Vadão, demitido após a Copa do Mundo Feminina. Em sua segunda passagem pela seleção, o técnico foi contestado principalmente pelo mau desempenho antes da Copa do Mundo, quando o Brasil perdeu nove jogos seguidos.

Sueca Pia Sundhage será a nova técnica da seleção brasileira feminina
Sueca Pia Sundhage será a nova técnica da seleção brasileira feminina
Foto: Laís Torres/CBF

Mais sobre a treinadora

Sundhage teve a primeira oportunidade como técnica no Boston Breakers, dos Estados Unidos. Mas foi no futebol de seleções que ela mais brilhou. Antes de assumir o time dos Estados Unidos, Pia trabalhou como assistente da China na Copa do Mundo de 2007.

> Fotos mostram os primórdios do futebol feminino no Espírito Santo

Foi justamente naquele Mundial, em função de uma derrota por 4 a 0 para a Seleção Brasileira na semifinal, que a sueca recebeu a chance de comandar as norte-americanas.

Com os EUA, foi bicampeã olímpica, em 2008 e 2012, e vice-campeã da Copa do Mundo, em 2011. No ano em que conquistou Londres 2012, Pia foi eleita como a melhor treinadora de futebol feminino pela FIFA.

Depois da passagem vitoriosa pelos Estados Unidos, ela aceitou comandar a Suécia. O primeiro objetivo era a Euro de 2013. A campanha parou na semifinal. Pia comandou a Suécia na Copa do Mundo, em 2015, e surpreendeu o mundo ao eliminar Estados Unidos e Brasil nas Olimpíadas de 2016, no Rio. Na ocasião, a Suécia ficou com a prata. A última competição de Pia Sundhage no comando da seleção sueca foi na Euro de 2017, quando ficaram nas quartas de final. 

> No embalo da Copa, Ufes oferece aulas gratuitas de futsal para mulheres

PERFIL

Nome: Pia Morror Sundhage

Nacionalidade: Suécia

Idade: 59 anos

Principais trabalhos como treinadora: Hammarby (Suécia), Boston Breakers (EUA), Kollbotn (Noruega), KIF Orebro (Suécia), China (assistente), Estados Unidos, Suécia e Suécia Sub-17

Títulos: Jogos Olímpicos de 2008 e 2012

Eleita a Melhor Treinadora de Futebol Feminino pela FIFA (2012)

Ver comentários