Notícia

Com expulsões, polêmicas e bom futebol, Tiva e Vitória ficam no empate

Após primeiro tempo sem graça, etapa complementar tem três gols para cada lado e arbitragem confusa; Thiago e Hércules brilham

Sobrou golaços, jogadas de efeito e dribles. Infelizmente também teve violência. Faltou preparo para a arbitragem de Felipe Varejão. Com um cartão vermelho para cada lado e polêmicas envolvendo o árbitro da partida, o duelo entre Desportiva Ferroviária e Vitória terminou empatado em 3 a 3 na tarde deste sábado, no estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica. Depois de um primeiro tempo sem graça e com muitas faltas, a etapa complementar foi de tirar o fôlego. Teve confusão com agressões e cartões vermelhos para Felipe, da Tiva, e David Dener, do Vitória. Mas o clássico merece ser destacado por conta dos momentos positivos: seis gols. Rodrigo Lacraia, Edinho e Thiago marcaram para os grenás. Hércules (2) e Wilker fizeram para os alvianis.

Edinho comemora gol marcado pela Desportiva
Edinho comemora gol marcado pela Desportiva
Foto: Carlos Alberto Silva

O camisa 10 grená Edinho não estava em grande dia, porém, chamou a responsabilidade quando o time comandado por Rafael Soriano demonstrou certo desequilíbrio emocional. O jogador, após o apito final, destacou o poder de fogo ofensivo da Locomotiva na Copa Espírito Santo.

"Para ganhar da Desportiva os adversários vão ter que jogar muita bola. Eles vão ter que fazer ao menos dois gols, pois na frente pode ter certeza que nós vamos deixar os nossos gols. Para ganhar do nosso time eles vão ter que correr bastante. Estamos fechamos, confiantes, focados e queremos o título da Copa", afirmou Edinho.

Hércules brilhou no duelo com dois gols marcados
Hércules brilhou no duelo com dois gols marcados
Foto: Carlos Alberto Silva

O jogo

Faltou qualidade no primeiro tempo. Com as marcações ajustadas, Desportiva e Vitória se arriscaram pouco na frente. Assim, o lance que mais chamou atenção no primeiro tempo foi o embate entre Edinho e Léo Alves aos 30 minutos. Pressionado pelo zagueiro, que chegou junto, o meia conseguiu o drible, bateu rasteiro no canto de Fernando Subtil e quase abriu o placar. Aos 44, Fabinho Capixaba cruzou para a área, o goleiro Felipe saiu errado e Léo Alves quase fez de cabeça. A bola acabou subindo demais na testada do zagueiro.

Desportiva e Vitória voltaram iguais para a segunda etapa. E saiu da cabeça de Rodrigo Lacraia o primeiro bom momento do jogo. Sorriso cobrou escanteio e o defensor apenas escorou: 1 a 0. Talvez um dos momentos que mais tenha mexido com os torcedores, principalmente, da Desportiva, foi a anulação do gol de Zizu, aos 32, quando o árbitro Felipe Varejão entendeu que o meia havia feito falta na jogada ao cabecear. Enlouquecidos no banco de reservas, o homem do apito recebeu muitas reclamações por parte dos jogadores e do técnico Rafael Soriano.

Thiago se emociona ao marcar aos 48 minutos do segundo tempo
Thiago se emociona ao marcar aos 48 minutos do segundo tempo
Foto: Carlos Alberto Silva

Aos 21, finalmente o time alvianil entrou no jogo e a situação começou a melhorar com a entrada de Hércules. Inspirado, o jogador deixou tudo igual aos 34, quando recebeu passe de David Dener e fuzilou com a perna direita: 1 a 1. Um minuto depois, Wilker escorou no segundo pau um cruzamento de Ayrton e virou: 2 a 1.

A arbitragem, então, começou a se complicar ainda mais. Aos 40, Zizu caiu dentro da área e Felipe Varejão assinalou pênalti. Os atletas do Vitória ficaram desesperados. Edinho, que não tinha nada com isso, cobrou e colocou a Tiva de volta no jogo: 2 a 2. Aos 43, Hércules entrou na área e foi derrubado por Rodrigo Lacraia e o árbitro marcou o pênalti. Foi a vez dos jogadores grenás ficaram desesperados. O próprio Hércules bateu e desempatou de novo: 3 a 2. Aos 48, Thiago aproveitou a sobra da zaga do Vitória e igual com uma pancada no ângulo do arqueiro rival: 3 a 3.

Ver comentários