Notícia

Jogadores se unem para ajudar Geneci, técnico descobridor de talentos

Ex-jogadores e craques da atualidade doam camisas e promovem jogo beneficente em prol do professor, que luta contra um câncer

Marcelo Geneci, professor de escolinha de futebol
Marcelo Geneci, professor de escolinha de futebol
Foto: Carlos Alberto Silva

São 63 anos de vida dos quais 45 deles dedicados ao futebol. Se a carreira como jogador não foi tão marcante, foi na formação de novos talentos que Marcelo Geneci viveu os maiores momentos da vida no esporte.

Mas há pouco menos de dois anos, o professor Geneci, como é conhecido no meio futebolístico, passou a enfrentar o maior adversário que já teve pela frente, porém fora dos gramados: inicialmente a suspeita era de alguma anormalidade na garganta. Um exame mais detalhado, há cerca de quatro meses, porém, apontou que as dores que sentia na região se tratava de um câncer na língua. Começou ali a luta contra a doença.

"Eu comecei a sentir umas dores, fiz vários exames, cheguei a ir aos Estados Unidos, mas nada era encontrado na minha garganta. Já de volta ao Brasil, fui encaminhado para um especialista e ele notou algo em minha língua. Fiz novos exames, encontraram um carocinho e na biópsia foi confirmado o câncer. Já até realizei a primeira seção de quimioterapia na semana passada", contou.

O que o técnico da base da Aert por mais de 30 anos e colecionador de títulos da Copa A Gazetinha talvez não esperasse era que o melhor remédio contra a doença fosse vir de vários cantos do mundo. E isso não é força de expressão.

Inúmeros jogadores já lapidados por Geneci, como o zagueiro Gladstone, o ex-lateral do PSG e Barcelona, Maxwell, Luan, zagueiro do Palmeiras, Kieza, atacante do Botafogo, e muitos outros nomes consagrados do esporte, como o meia Paulinho, do Guangzhou Evergrande, e o atacante Ricardo Oliveira, do Atlético-MG, se uniram em uma corrente de apoio ao professor.

Marcelo Geneci, professor de escolinha de futebol
Marcelo Geneci, professor de escolinha de futebol
Foto: Carlos Alberto Silva

"Isso é a gratidão. Tenho recebido ligações e carinho de muitos ex-atletas treinados por mim, mas me impressiona mesmo o apoio de jogadores de fora e das pessoas ligadas ao esporte que conheci nos trabalhos pelo Brasil e também no exterior. Isso sem falar nos pais dos alunos e eles próprios, que se emocionam em me ver. O amor, carinho e solidariedade dessas pessoas é o que me motiva. Só tenho a agradecer", contou a lenda do futebol de base do Estado, que garantiu estar com o coração forte para responder as mensagens de apoio recebidas.

RIFA E ENCONTRO DE CRAQUES

A solidariedade do mundo do futebol em prol do Professor Geneci não se limita às mensagens. No próximo domingo (10), na Aert, em Bairro de Fátima, na Serra, vários ex-jogadores treinados pelo técnico irão se unir em um jogo beneficente para levantar fundos para o tratamento contra o câncer. A ação foi encabeçada pelo zagueiro Gladstone, atualmente na URT-MG, os três irmãos dele, também crias do técnico, além de outros nomes que brilharam pelos gramados do Estado.

O jogo beneficente para Marcelo Geneci
O jogo beneficente para Marcelo Geneci
Foto: Divulgação

MENSAGEM DOS CRAQUES

"Quando soubemos da situação dele, iniciamos os contatos e rapidamente todos se prontificaram a ajudar de alguma maneira. Conseguimos nesse primeiro camisas do Kieza (Botafogo), Ricardo Oliveira (Atlético-MG), Luan (Palmeiras), Thiago Alves (Ceará), mas muitos outros já se colocaram à disposição em colaborar. É mais do que o lado financeiro. Queremos retribuir toda a atenção e ensinamentos que ele nos deu", explicou o técnico em segurança do trabalho, Patrick Della Valentina, irmão de Gladstone.

"Eu fico emocionado com tudo isso. É difícil até explicar esse carinho. Vai ter esse jogo agora no domingo, mas a todo momento muitos ex-atletas me procuram e querem organizar um encontro em outros lugares. Deve acontecer também em Aracruz, Niterói e até nos Estados Unidos querem realizar para me ajudar. É coisa de Deus mesmo. Mas o coração está forte, vai aguentar tudo isso", garante Geneci.

Ver comentários