Notícia

Torcedor do Rio Branco, contador coleciona camisas de Loco Abreu

Rafael Rossi tem quase 400 camisas do Botafogo, sendo cerca de 15 do uruguaio. Ele não vê a hora de ver o ídolo nos gramados do ES

O contador Rafael Rossi é torcedor do Rio Branco e coleciona camisas de Loco Abreu
O contador Rafael Rossi é torcedor do Rio Branco e coleciona camisas de Loco Abreu
Foto: Marcelo Prest

Um coração dividido, mas genuinamente alvinegro. Neste Capixabão 2019, o contador Rafael Rossi vai conseguir unir duas paixões de uma vez só. Torcedor capa-preta, ele também é fã número 1 do atacante Loco Abreu. E a coleção de camisas do Botafogo é grande: quase 400, sendo 15 só do uruguaio.

Para muitos capixabas, El Loco jogar no futebol do Espírito Santo poderia ser improvável. Não para Rafael. “Por aqui já passou Túlio Maravilha, Aldair, Sávio, entre outros jogadores de nome, então eu já imaginava que poderia ser uma realidade. Soube quando o presidente (Luciano Mendonça) foi ao Rio para acertar com ele e fiquei muito empolgado”.

> Ronicley e Caco Espinoza já fazem planos com Loco Abreu no Rio Branco

Rafael costumava viajar para os jogos do Botafogo no Rio de Janeiro entre 2010 e 2012 para acompanhar o time e Loco Abreu de perto. O título brasileiro de 1995 foi especial para o contador, mas uma outra conquista, um pouco menor em proporção, é ainda mais inesquecível.

O título carioca de 2010, com direito a cavadinha do Loco Abreu e ainda por cima sobre o Flamengo, foi impagável. Ele é um jogador folclórico e se encaixa exatamente no perfil de ídolo alvinegro
Rafael Rossi - Torcedor do Rio Branco e fã de Loco Abreu
O contador Rafael Rossi é torcedor do Rio Branco e coleciona camisas de Loco Abreu
O contador Rafael Rossi é torcedor do Rio Branco e coleciona camisas de Loco Abreu
Foto: Marcelo Prest

O contador acredita que a chegada do ídolo nos gramados capixabas será um marco no Rio Branco e no futebol local. Que, inclusive, sirva de modelo para os clubes rivais.

> Leia mais notícias de Esportes

“Nosso futebol é carente de atrativos, então não leva gente, investidor, não tem visibilidade. Uma coisa puxa a outra. Ele pode ajudar no nome do Rio Branco, na captação de patrocínios, de investidores que querem ter a sua marca estampada na camisa. Apesar de ter mais de 40 anos, ele é um artilheiro nato, um visível centroavante com faro de gols, isso não se perde”, finalizou.

Ver comentários