Notícia

Rumo a Tóquio! Brasil garante vagas olímpicas no Mundial de vela

País garantiu classificação para classes Laser e 49er FX nesta quinta-feira; João Pedro de Oliveira e dupla Martine e Kahena foram os grandes destaques

Se a quarta-feira não foi de ótimos resultados, os ventos desta quinta-feira trouxeram boas notícias para os brasileiros no Mundial de Classes Olímpicas de vela. Na baía de Aarhus, na Dinamarca, o país assegurou a presença em duas classes nos Jogos de Tóquio 2020.

Na classe Laser, João Pedro de Oliveira ficou em 19º lugar, com 131 pontos perdidos; já na 49er FX, as campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze ficaram na sexta posição (97 p.p.) e avançaram para a disputa da regata de medalha, que acontece neste sábado.

- Durante a semana inteira as regatas foram bem difíceis. Estamos felizes por ter cumprido nosso objetivo, que era classificar o país, e depois ainda ter chance de melhorar mais um pouquinho na medal race - disse Martine Grael.

Na briga pelo pódio, as campeãs olímpicas dependem de uma combinação de resultados. A dupla brasileira atualmente está 12 pontos atrás das holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz, que ocupam a terceira posição.

- Tem que ir para ganhar (a regata de medalha) e cruzar os dedos para que as outras duplas cometam erros e deem oportunidade para a gente fazer um pódio - completou Kahena.

Já na classe Laser, o maior destaque do Brasil ficou por conta de João Pedro Souto de Oliveira. Após garantir o sexto lugar na última regata da fase de classificação, ele saltou da 29ª para a 19ª colocação no geral. Com o resultado, o velejador garantiu o Brasil como 11º país mais bem posicionado, assegurando uma das 14 vagas que estavam em jogo.

- A temporada deu uma alavancada para mim quando ganhei o ouro nos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba (no fim de maio). Aqui, foi até um pouco melhor do que eu esperava. Meu primeiro objetivo era me manter na flotilha ouro e daí tentar uma coisa melhor. Acabou que fiquei em 19º, garantindo a vaga para o Brasil no primeiro evento classificatório - disse João Pedro.

Vale lembrar que o Brasil tem enorme tradição na Laser, incluindo o título mundial de Peter Tanscheit (1991). Além disso, há também a hegemonia além de Robert Scheidt, que é vencedor de dez títulos mundiais, dois ouros e uma prata em Jogos Olímpicos na classe.

Além das vagas garantidas na Laser e na 49er FX, a quinta-feira marcou a disputa de regatas em outras classes. Na Nacra 17, Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino (47 pontos perdidos) ficaram em quarto lugar, apenas cinco pontos atrás dos líderes Nathan e Haylee Outteridge (42 p.p.). Já na RS:X feminina, Patrícia Freitas conseguiu uma segunda colocação na última regata do dia e agora figura na 22ª colocação (103 p.p.). Esta quinta-feira também marcou o fim da fase de classificação da Laser, Laser Radial e do Kiteboard.

Confira abaixo a classificação final dos demais brasileiros:
Laser Radial. Gabriela Kidd, 68º lugar (222 pontos perdidos);
Laser. Bruno Fontes, 30° (157 p.p.)
Laser. Lucas Bueno, 154º (378 p.p.)
Kiteboard masculino. Cláudio Cruz, 57º (254 p.p.)