Notícia

'Atletas precisam ter condições para treinar e ir bem em Tóquio-2020', diz Vanderlei Cordeiro de Lima

Ao LANCE!, ex-maratonista reconhece dificuldades do atletismo do país para chegar com força a competições internacionais, mas mantém otimismo: 'Temos potencial para crescer'

A sensação de que os atletas brasileiros que disputarão os Jogos Olímpicos de Tóquio lidarão com obstáculos de planejamento marca Vanderlei Cordeiro de Lima. Em entrevista ao LANCE!, durante o evento Sport Express, o ex-maratonista ratificou sua confiança em bons resultados em 2020, mas reconheceu:

- Ficamos na expectativa para, em especial em 2020, voltarmos às grandes conquistas. Porém, a gente sabe da nossa realidade hoje. A gente espera que os atletas possam se planejar mais para que, no futuro, façam melhores resultados e entrar no cenário internacional.

Aos seus olhos, o rendimento abaixo da média do Brasil é uma questão passageira:

- Temos poucos atletas de destaque nas provas mais longas, comparados a uma geração atrás. É um momento difícil, mas creio que, em breve, podemos mostrar mais. O Brasil tem potencial para crescer no cenário internacional e voltar a grandes conquistas.

O medalhista olímpico de Atenas-2004 destacou que o futuro do Brasil no atletismo não se restringe ao alto rendimento:

- Temos de focar a base. Dar uma atenção à base, para termos a renovação dos atletas.

Vanderlei ainda detalhou quais investimentos podem ser feitos para evoluir:

- O governo tem feito a parte dele, de certa forma. Mas a demanda para melhorar a infraestrutura é muito grande. Nosso país tem uma dimensão muito grande, isto acaba dando uma carência muito grande para nós. No próprio Rio de Janeiro, vemos esta situação - disse ele, que completou:

- Espero que esta demanda comece a ser atendida desde a base. Levando já dentro da escola.

Durante sua palestra realizada no evento Vanderlei Cordeiro de Lima passou experiências de sua trajetória e deixou conselhos:

- Nunca peguei atalhos, sempre fui batalhando pouco a pouco para ganhar o meu espaço. Assim, consegui realizar o meu sonho de vencer Pan-Americano e de ganhar uma medalha olímpica.

Ao falar sobre a comemoração com o "aviãozinho" enquanto garantia a medalha de bronze dos Jogos Olímpicos de Atenas-2004, o ex-atleta revelou que:

- Na hora, eu já tinha deixado para trás aquela história do padre irlandês que me tirou da primeira colocação. Eu estava só preocupado em garantir uma medalha, independente da cor. Fui fazer aquele "avião", meus braços doíam.

Vanderlei Cordeiro de Lima ainda deixou a mensagem:

- Corram atrás, por mais que digam que é difícil. Tenham perseverança, nunca desistam de seus sonhos.