Notícia

Jogo das Estrelas da LBF celebra 25 anos do título do Mundial de 1994

Time Aline Moura bate Time Raphaella Monteiro por 121 a 96, e Meli Gretter é MVP pelo segundo ano consecutivo. Desafios tiveram o bicampeonato de Tassia e show de Juliana<br>

O Jogo das Estrelas 2019 da LBF reuniu as melhores jogadoras da temporada em uma festa que celebrou os 25 anos da Conquista do Mundial de 1994 pela geração de ouro da Seleção Brasileira, com 7 das 12 campeãs, no sábado.

O público presente ao Ginásio Gigantão, em Araraquara (SP), assistiu à vitória em quadra do Time Aline Moura sobre o Time Raphaella Monteiro por 121 a 96, com a cestinha do jogo Isabela Ramona (22 pontos) e a MVP Meli Gretter comandando a equipe que jogou com réplicas do uniforme amarelo usado em 1994.

A armadora do Vera Cruz Campinas teve 29 pontos de eficiência ao anotar 5 pontos (com 100% de aproveitamento), 13 assistências, e 12 rebotes. Iza Sangalli, do Ituano Basquete, teve 16 pontos e Lê Lisboa, do Pró-Esporte/Sorocaba, 15, mesma pontuação da capitã Moura.

Pela equipe azul, a cestinha foi a andreense Izabela, com 19 pontos e 20 de eficiência. A capitã Rapha Monteiro veio logo atrás, com 18 pontos em 58% de aproveitamento. A cubana Ariadna, com uma virose, foi desfalque de última hora que foi sentido pela equipe comandada por Cristian Santander (Sampaio Basquete) e Bruno Guidorizzi (Santo André/Apaba).

Alguns dos pontos da noite foram convertidos pelas próprias campeãs mundiais, convidadas a participarem da festa também dentro de quadra. Magic Paula, Roseli, Helen Luz, Leila Sobral, Ruth, Simone Pontello e Adriana Santos mostraram que a classe e a técnica continuam apuradas.

No intervalo da partida, as sete relembraram no telão os segundos finais da decisão sobre a China, que trouxe a conquista inédita e coroou uma geração que também contava com Hortência, Janeth, Alessandra, Cintia Tuiu e Dalila e era comandada por Miguel Ângelo da Luz.

A equipe Aline Moura, comandada por Antonio Carlos Vendramini (Vera Cruz Campinas) e Daniel Wattfy (SESI Araraquara), venceu com folga as duas primeiras parciais, indo ao intervalo com 19 pontos de vantagem (61x42). Seguiu dominando no terceiro período e viu a equipe azul reagir no último quarto e reduzir a diferença.

Novas campeãs nos Desafios de Enterradas e Habilidades; Tassia garante o bi nos três pontos

Na prévia do jogo principal, os tradicionais desafios deram início à noite estrelada da LBF. A segunda edição do Torneio de Enterradas teve na finalíssima uma réplica do clássico do ABC paulista com o confronto entre a atual campeã, Bianca (Santo André/Apaba) e a pivô Juliana (Instituto Brazolin/São Bernardo/Unip). A pivô andreense não conseguiu completar a última enterrada e deixou o caminho livre para a nova campeã, de 1,85m e apenas 19 anos, mas dona de uma impulsão assustadora.

O Desafio de Habilidades trouxe a agilidade característica das armadoras da LBF e neste ano quem reinou foi Ineidis Casanova. O "furacão cubano" da Uninassau/Cabo de Santo Agostinho passou por Joice (Ituano Basquete) e Alana (Santo André/Apaba) até enfrentar a sorocabana Aruzha na decisão e completar o circuito com a bola de três do título.

Se os primeiros desafios trouxeram campeãs inéditas, a atual campeã Tassia (Blumenau) tratou de deixar tudo como antes no Torneio de Três Pontos e manteve o título conquistado na temporada passada, após uma final emocionante contra Luana, do Ituano, que foi resolvida apenas no desempate. Após duas rodadas equilibradas (17x17 e 11x11), a ala do Blumenau venceu por 10 a 8 já na segunda prorrogação, que contava com apenas três carrinhos de cinco bolas cada.