Notícia

Capixabas de estrela: Pedro Rocha e Cícero são "amuletos" do Grêmio

Campeão da Copa do Brasil em 2016 após marcar dois gols na ida da final, Pedro Rocha deseja sorte ao meia Cícero, que brilhou na ida da decisão da Libertadores

Cada um à sua maneira, Pedro Rocha e Cícero já viveram noites de protagonismo vestindo a camisa do Grêmio em finais de campeonatos. O primeiro, no dia 23 de novembro de 2016, contra o Atlético-MG, pela ida da decisão da Copa do Brasil, marcou dois gols. Atacante veloz e técnico, enlouqueceu a defesa do Galo no Mineirão. O segundo, homem de confiança de Renato Gaúcho por sua liderança e entrega, entrou em campo no 2º tempo do duelo da última quarta, em Porto Alegre, e fez o tento que coloca o Tricolor em vantagem na finalíssima da Libertadores, diante do Lanús. O confronto de volta do torneio mais importante da América acontece nesta quarta-feira (29), às 21h45, na Argentina.

Pedro Rocha e Cícero são capixabas e já decidiram finais para o Grêmio
Pedro Rocha e Cícero são capixabas e já decidiram finais para o Grêmio
Foto: Montagem sobre fotos de Grêmio

Eles são atletas capixabas com estilos bem diferentes dentro das quatro linhas, mas afinados quando são chamados para resolver a “parada” para o Grêmio. E mesmo um ano depois de brilhar e levantar a taça da Copa - na volta o Tricolor empatou em 1 a 1 e sagrou-se campeão, Pedro Rocha revive com alegria as histórias da conquista como se fosse “ontem”. O ex-camisa 32 do time gaúcho, que atualmente joga no Spartak Moscou, da Rússia, está na torcida pelo conterrâneo e pelos ex-companheiros.

"Foram muito importantes esses momentos que vivi no Grêmio. Fico muito feliz por fazer parte da história de um grande clube como o Grêmio. Foram bons momentos que vivi no clube e sem dúvidas levo esse aprendizado para minha vida e para a minha carreira. Desejo tudo de melhor para o Cícero, que é capixaba como eu. Espero que nessa final de Libertadores, assim como no primeiro jogo, que ele possa ser decisivo. Espero que possamos ser campeões de novo”, disse Pedro Rocha, em entrevista exclusiva ao Gazeta Online.

Nas graças a torcida após se destacar na partida de ida, Cícero retomou o trabalho com Renato Gaúcho neste ano, com quem foi vice da América em 2008 pelo Fluminense, para acabar o que haviam começado juntos há nove anos. Mais experiente agora, o meia não quer deixar o troféu escapar novamente, porém, sabe que a tarefa será árdua.

“Meus 14 anos de carreira falam por mim. Por todo lugar que eu passei eu sempre fui feliz e o Renato conhecia também o meu potencial e sabia que eu podia ajudar. Graças a Deus consegui dar minha contribuição. Espero voltar a ajudar de novo. Mas a gente sabe que eles são fortes na casa deles. Já fizeram vários placares, mas a nossa equipe também consegue ser bem copeira fora de casa. Espero que a gente encaixe o nosso estilo de jogo e possa nos consagrar com esse título", comentou Cícero.

Ver comentários