Notícia

Patente alta: Odile vira 3º sargento da Marinha e sonha com Tóquio

Velejadora do Espírito Santo, de 32 anos ainda espera representar o Brasil nos Jogos Olímpicos do Japão, em 2020

Odile Ginaid
Odile Ginaid
Foto: Benja Sans/Divulgação

A quantidade de medalhas conquistadas em inúmeros países de quase todos os continentes é difícil de contar, como ela mesmo diz. Os destaques mais expressivos, porém, são facilmente lembrados: dez vezes campeã capixaba, ouro no Sul-Americano de 2010, no Brasil, bronze no Sul-Americano de 2010, na Colômbia e líder do ranking brasileiro. Esse é apenas um breve currículo de Odile Ginaid, velejadora capixaba de 32 anos que agora assume uma nova patente na Marinha do Brasil: 3º sargento.

Odile fará parte da equipe de atletas de alto rendimento da vela, na classe laser radial, através do Programa Olímpico da Marinha (PROLIM).

“Estou muito feliz com essa conquista e por fazer parte de uma equipe com grandes atletas de modalidades distintas. Sou grata também ao que a Marinha tem feito por mim, afinal, estão me dando a oportunidade para eu dar um novo gás na minha carreira. Estar na Marinha é fruto do meu trabalho de anos, por isso estou confiante e disposta a mostrar que tenho capacidade de seguir no esporte de alto rendimento”, comentou Odile.

Odile e sua irmã Adhara na Marinha do Brasil
Odile e sua irmã Adhara na Marinha do Brasil
Foto: Acervo Pessoal

Após ficar por cerca de dois anos afastada dos treinos de alto nível e das grandes competições internacionais para investir em outro ramo, já que é formada em administração, Odile retornou com tudo ao cenário nacional e, logo de cara, mesmo sem ter muito tempo de preparação, conquistou uma medalha de bronze no Sul-Americano do Chile em março. Agora, a sargenta Odile mira a disputa do Pan-Americano do Peru, que acontece em março de 2019. Antes disso, a capixaba fará treinamentos especiais e alguns torneios no Brasil. Tudo isso porque ela também deseja disputar os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, no Japão.

“Meu plano de curto prazo é competir na Copa Brasil de Vela, que será em Florianópolis, em novembro. Para médio prazo, a intenção é classificar o Brasil para os jogos Pan Americanos do Peru. Mas tratando-se de olimpíada o sonho continua vivo. Participei dos ciclos de Londres e do Rio, então, agora estou mais experiente. Quem sabe eu consiga realizar esse objetivo. Vou treinar para isso”, concluiu Odile. 

PARA ESTAR 100%

De olho nas competições que estão por vir, Odile Ginaid não quer se contentar com pouco em seu retorno ao esporte. A concorrência é forte e a capixaba afirma estar ciente disso. Com a temporada deste ano perto do fim, o objetivo da velejadora é manter o ritmo desde já e conquistar os melhores resultados para assegurar sua participação no Pan do Peru. Mas para isso ela precisa se recuperar totalmente de uma lesão no joelho direito que a vem incomodando há alguns meses.

Odile Ginaid integra projeto da Marinha do Brasil
Odile Ginaid integra projeto da Marinha do Brasil
Foto: Acervo Pessoal

"Estou fazendo trabalho de fisioterapia há cerca de um mês para poder me recuperar dessa lesão. Me disseram que eu precisaria fazer cirurgia, mas preferi diminuir a carga e investir na fisioterapia para tentar curar a lesão sem necessidade de cirurgia. Depois, quando estiver melhor recuperada, vou manter meus treinos no Rio de Janeiro e em Florianópolis. Já em janeiro retorno ao Espírito Santo e dou sequência aos treinos em solo capixaba por conta dos bons ventos que sopram no Estado nessa época", pontua Odile.

Ver comentários