Notícia

Com missão na bagagem, Casé embarca para o Mundial Master de Basquete

No dia do aniversário do filho, o ala capixaba viaja para o México onde defenderá a seleção brasileira

Um velho conhecido das quadras de basquete vai fazer história na modalidade 3 x 3, que estreará como modalidade olímpica em Tóquio-2020. O capixaba Alessandro Casé viaja nesta segunda-feira (28) rumo a Cancún, no México, onde vai disputar o Mundial Master pelo Brasil.

Casé, se vencer a competição no México, dedicará o título ao filho Andrew, que faz aniversário nesta segunda (28)
Casé, se vencer a competição no México, dedicará o título ao filho Andrew, que faz aniversário nesta segunda (28)
Foto: Marcelo Prest

O título da competição é mais do que uma meta pessoal, vai além do troféu. Casé pretende dar a medalha de ouro para o filho Andrew, que completa 9 anos justamente hoje, data da viagem à América do Norte.

“Andrew hoje é a minha inspiração. Jogo para incentivá-lo, ser o exemplo. É importante ser um espelho para o meu filho. Estou indo para lá com o coração apertado, mas feliz com a possibilidade de trazer a medalha de presente para ele. Vai ser a concretização de um sonho”, conta ala.

Casé diz que, apesar da pouca idade, Andrew já sabe o que quer ser quando crescer: jogador de basquete. “Ele quer isso pra ele, já falou. Estou aqui para encurtar os caminhos dele, para ele chegar à NBA, estamos incentivando para ele seguir o sonho da NBA. É muito difícil para o atleta chegar ao auge, mas é mais difícil ainda se manter nele. Ele é muito determinado”, afirma, cheio de orgulho.

A COMPETIÇÃO

A ansiedade do capixaba para a disputa no México está bastante elevada. “A expectativa é sempre boa, o frio na barriga é normal para quem é atleta, estou bem confiante. Meu objetivo é ir e voltar sem lesão, independente do resultado”, afirmou.

Casé é um dos convocados para defender a seleção no Mundial Master de Basquete 3 x 3
Casé é um dos convocados para defender a seleção no Mundial Master de Basquete 3 x 3
Foto: Arquivo pessoal

Por o mundial se tratar de uma competição nova, Casé explica que é difícil prever o que vai encontrar pela frente. “É difícil dizer o nível dos adversários. Existem nomes fortes na modalidade, como México, Alemanha, Rússia, Estados Unidos, Argentina, Porto Rico e Chile“, elenca.

Aos 41 anos, Casé irá competir na categoria +35, mas garante que a idade não é problema. “São atletas mais novos, mas eu estou em condições ótimas. Garanto que vou dar um show à parte, principalmente ao som de um bom hip-hop”, concluiu.

REFERÊNCIA DENTRO E FORA DAS QUADRAS

Além de ser exemplo para o filho, Casé busca ser uma referência para outros jovens apaixonados pelo basquete. O atleta capixaba realiza um projeto social na Capital, onde ensina o esporte para crianças e adolescentes.

“É importante ser referência. Eu me inspirava nos grandes nomes do NBA, porém é mais fácil para eles terem um ídolo mais próximo. Eles podem pensar que se eu fui, eles também podem. Fica mais fácil para se espelharem”, pondera o jogador.

Realizado na Grande Goiabeiras, o projeto Basquete na Praça 3x3 atende atualmente cerca de 200 crianças e adolescentes entre 4 e 18 anos e funciona em três núcleos. A escolinha funciona em Bairro República (terça, quinta e sexta-feira, de 18h30 às 22h30), Goiabeiras Velha (segunda-feira, das 18h às 20h) e em Sólon Borges (quarta-feira, de 18h30 às 19h30).

“Ensinamos o basquete tradicional e o 3x3. Já treinamos as duas modalidades pensando no futuro”, explica Casé. O projeto é gratuito e voltará a funcionar em fevereiro, quando retorna o período escolar.

 

 

Ver comentários