Notícia

Diego Hypolito: "Quero que saibam que sou gay e não tenho vergonha disso"

Ao portal Uol, o ginasta falou pela primeira vez, abertamente, sobre sua homossexualidade

Medalhista de prata nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016 e com um currículo recheado de conquistas na ginástica artística, o ginasta Diego Hypolito falou pela primeira vez, abertamente, sobre sua homossexualidade. "Nunca mais vou deixar de viver o que eu sou. Eu sou gay", disse em entrevista ao portal "Uol". Diego revelou tudo que sofreu e como lidou com as dificuldades. 

O atleta Diego Hypolito recebe medalha de prata na prova de Ginástica Artística válida pelos jogos olímpicos Rio 2016, na Arena Olímpica, no Rio de Janeiro (RJ), neste domingo (14).
O atleta Diego Hypolito recebe medalha de prata na prova de Ginástica Artística válida pelos jogos olímpicos Rio 2016, na Arena Olímpica, no Rio de Janeiro (RJ), neste domingo (14).
Foto: EGLY ROBERTO /FUTURA PRESS

Hoje aos 32 anos, Diego conta que apenas aos 19 se sentiu à vontade para revelar a um amigo mais próximo. Mas só em 2014, quando se preparava para o Mundial da China, teve coragem de contar para sua família, em uma mensagem destinada a sua mãe.

"Não tinha coragem de falar por telefone, então, de novo, escrevi uma mensagem. Disse que a amava muito, que esperava que isso não fosse mudar a nossa relação, porque eu continuaria a amando da mesma maneira. Eu era gay. E não um demônio. Ela ficou um tempo sem responder e quando respondeu não foi muito gentil. Sendo eu o filho mais próximo, deve ter sido muito difícil para ela também. Eu estava com muita vergonha de encarar a minha família. Eu me afastei deles por quase um ano, cheguei a perder um Natal por causa desse clima ruim. Meu pai reagiu melhor e a Daniele me apoiou incondicionalmente, disse à reportagem do Uol.

O ginasta relatou que um dos motivos de ter optado por não falar sobre sua sexualidade é que tinha medo de não poder manter vivas as suas aspirações no esporte e os patrocinadores. mas Diego superou tudo isso com muita terapia e proximidade com pessoas que o ajudaram. E hoje ele só quer que o exemplo dele faça com que outros garotos que hoje estão sofrendo deixem de sofrer.

"Quero que as pessoas saibam que eu sou gay e que eu não tenho vergonha disso. E não é porque eu sou que outras pessoas vão querer ser. Isso não tem nada a ver. Já vivi muitos anos pensando no julgamento que os outros fariam sobre mim. Hoje só aceito ser julgado por Deus", declarou ao portal "Uol".

Ver comentários