Notícia

Jovem que sumiu ao comprar chapinha segue desaparecida há 1 ano e 4 meses

Katiane Renocke Zava, hoje com 18 anos, nunca voltou para casa. Um ano e quatro meses após seu desaparecimento, a família continua a sua procura

Katiane Renoke Zava, 17, desaparecida há um ano e quatro meses
Katiane Renoke Zava, 17, desaparecida há um ano e quatro meses
Foto: Reprodução/Facebook

O desaparecimento de uma jovem de 18 anos em Vila Pavão, Região Noroeste do Estado, é um quebra-cabeça que a Polícia Civil tenta montar há um ano e quatro meses. Katiane Renocke Zava saiu da residência onde morava com a família e foi deixada na rodoviária do município pelo pai. Ela iria comprar uma chapinha com uma mulher, mas nunca chegou ao destino e nem voltou para casa. Aos 17 anos recém-completados, simplesmente sumiu sem deixar pistas.

> Jovem de 17 anos desaparece na rodoviária de Vila Pavão

A mãe dela, a lavradora Luciane Renocke Zava, de 35 anos, contou que a família está angustiada após tanto tempo sem notícias da jovem. “Meu marido deixou nossa filha na rodoviária, que ia apenas comprar a chapinha e, mais tarde, encontraria com o pai no mesmo lugar onde ele a deixou. Quando foi buscá-la, por volta de 15 horas, ela não estava lá. O pai pensou então que a Katiane já tinha vindo para casa. Mas ela não estava aqui e nem nunca chegou”, explicou.

 

De acordo com Luciane, a família procurou a moça que venderia a chapinha e ela contou que a jovem não foi à sua casa. “Então fomos à polícia e registramos o boletim de ocorrência. A única pista são as imagens da câmera de um supermercado próximo do local onde meu marido a deixou, mas só mostra ela passando sozinha. A Katiane era caseira, não tinha o costume de sair”, afirmou a mãe.

A lavradora disse ainda que a filha fez 18 anos no dia 23 de junho e que o coração de mãe fica apertado com seu sumiço. “Nem a polícia tem informação. Mas a família continua à procura da Katiane. Ela havia parado de estudar e tomava conta da casa. Era uma menina mais fechada. A gente estranhou esse desaparecimento”, lamentou.

Luciane pede que, quem tenha alguma informação sobre o paradeiro de Katiane, entre em contato através do telefone (27) 99661-6568.

POLÍCIA CIVIL

Procurada, a Polícia Civil informou que o caso segue sob investigação da Delegacia de Nova Venécia e que outras informações não serão passadas no momento para não atrapalhar o andamento das investigações. "Denúncias que auxiliem no trabalho da policia e contribuam para identificação de suspeitos podem ser feitas por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, o sigilo e anonimato são garantidos. No site, é possível a pessoa anexar imagens e vídeos de ações criminosas", diz a nota da PC.

 

 

Ver comentários