Notícia

Bolsonaro planeja ida a Brumadinho; Planalto monta gabinete de crise

Estrutura da Vale se rompeu em Brumadinho, atingindo comunidade; ministro do Meio Ambiente irá à região

Mulher é resgatada da lama por bombeiros após rompimento de barragem em Brumadinho, Minas Gerais
Mulher é resgatada da lama por bombeiros após rompimento de barragem em Brumadinho, Minas Gerais
Foto: Reprodução/TV Record

O presidente Jair Bolsonaro tem intenção de se descolar neste sábado (26) às 8 horas, para a região de Brumadinho (MG), onde uma barragem se rompeu na tarde desta sexta-feira, 25. A informação foi dada pelo porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, no Palácio do Planalto.

"O governo acompanha de perto a evolução da situação em condições de colaborar com o Estado de Minas Gerais", disse o porta-voz, lendo uma nota da Presidência.

Um gabinete de crise foi montado no Planalto para acompanhar todo o desenrolar da situação decorrente do rompimento da barragem da mineradora Vale na Mina Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Leia também

A barragem 1 da Mina Feijão se rompeu na tarde desta sexta-feira, 25. Segundo a empresa, a área administrativa da empresa foi atingida com funcionários e, portanto, pode haver vítimas. A lama também chegou à comunidade da Vila Ferteco. A Defesa Civil confirmou que há pessoas isoladas.

O gabinete de crise vai coordenar os esforços de todos os ministérios que estarão envolvidos na busca de soluções para o rompimento da barragem e redução de danos. O presidente Jair Bolsonaro está reunido em Brasília com vários ministros para determinar as primeiras ações e equipes técnicas serão deslocadas para a região.

Não há decisão ainda se o presidente Bolsonaro irá para a região, já que ele chegou na madrugada desta sexta-feira de Davos, na Suíça e deveria se internar no domingo, em São Paulo, para fazer a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia, na segunda-feira.

Auxiliares diretos do presidente consideraram o episódio uma verdadeira "tragédia ambiental".

Por determinação do presidente, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, irá a Minas Gerais para ver de perto o tamanho do estrago causado.

Ver comentários