Notícia

Suspeito de matar trans a pauladas em SP se apresenta à polícia

Uma amiga da vítima contou a polícia que o motivo da morte foi por ela ter se negado à ter fazer programa com o suspeito

Larissa Rodrigues foi morta a pauladas
Larissa Rodrigues foi morta a pauladas
Foto: Reprodução/Redes sociais

Um homem suspeito de ter assassinado a pauladas uma mulher transexual no último sábado (4), na zona sul de São Paulo, se apresentou ontem à tarde ao 27º DP (Campo Belo, na zona sul), que investiga o caso.

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), ele chegou juntamente com seu advogado e prestou depoimento à autoridade policial. A pasta não deu detalhes do depoimento e ele não ficou preso.

Larissa Rodrigues da Silva, 21 anos, foi morta na noite de sábado, na alameda dos Tacaúnas, no Planalto Paulista (zona sul).

Uma amiga da jovem contou ao Agora que ambas faziam programa, quando a vítima foi atingida pelo suspeito, que acertou a cabeça de Larissa com um pedaço de madeira. "O homem ficou bravo, pois minha amiga havia negado fazer programa com ele", afirma.

O motivo para a negativa da vítima, ainda segundo a amiga, seria o fato de o suspeito ter sido violento quando a abordou, instantes antes de a agredir. O homem não havia sido identificado até a conclusão desta edição.

A testemunha acrescentou que, após Larissa cair no chão, o criminoso bateu com a madeira na cabeça da vítima "várias vezes". "Depois, ele andou até o carro [um Voyage prata] e fugiu".