Notícia

Casal é preso com quase 2 mil pedras preciosas em Rondônia

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, as pedras foram extraídas da reserva Roosevelt, terra indígena dos índios Cinta Larga. A área é protegida por lei federal e a retirada de diamantes é proibida

Diamantes apreendidos pela PRF em Vilhena
Diamantes apreendidos pela PRF em Vilhena
Foto: PRF/Divulgação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Rondônia, prendeu na manhã desta sexta-feira (19), em Vilhena, distante 700 km de Porto Velho, um casal de brasileiros que transportava 1.930 pedras preciosas.

A prisão aconteceu no posto da PRF na divisa dos estados de Rondônia e Mato Grosso. Os suspeitos trafegavam em uma caminhonete modelo S10 no sentido Porto Velho/Cuiabá. O destino final seria a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná.

Segundo a PRF, durante a abordagem, a mulher, de 41 anos, apresentou muito nervosismo e antes mesmo que fosse iniciada a revista no veículo, ela confessou que transportava sob as vestes, um carregamento de pedras preciosas.

Leia também

O homem que dirigia a caminhonete é um pedreiro de 65 anos. Ele e a mulher, fisioterapeuta, moram em Porto Velho.

Eles confessaram ter adquirido as pedras na cidade Ji-Paraná, também em Rondônia, e pagaram R$ 300 mil pelo produto.

Ainda de acordo com a PRF, as pedras foram extraídas da reserva Roosevelt, terra indígena dos índios Cinta Larga. A área é protegida por lei federal e a retirada de diamantes é proibida.

O casal foi levado para a sede da Polícia Federal em Vilhena e vai responder pelo crime de usurpação de matéria prima da União. Só após a perícia da própria PF é que será possível identificar as espécies das pedras apreendidas.

Ver comentários