Notícia

Tio é preso suspeito de provocar morte da sobrinha durante discussão

Jéssica Nielsen dos Santos Lacerda, de 15 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (28). Jean Carlos Nielsen dos Santos, 38 anos, nega agressão

Jean Carlos Nielsen dos Santos, 38 anos, foi atuado por injúria, ameaça e agressão
Jean Carlos Nielsen dos Santos, 38 anos, foi atuado por injúria, ameaça e agressão
Foto: Ruhani Maia

A estudante Jéssika Nielsen dos Santos Lacerda, de 15 anos, morreu, na madrugada de quarta-feira (28), após uma discussão com o tio, o vigilante Jean Carlos Nielson dos Santos, 38, no bairro Maracanã, em Cariacica. A briga ocorreu à noite, mas Jéssica só morreu durante a madrugada, no hospital. A polícia investiga se uma agressão do tio contra Jéssica teria provocado a morte da adolescente.

A estudante morava com os avós, pais de Jean, e o tio, e estava junto com eles em casa quando a briga começou, após Jean voltar de um bar. Vizinhos contaram que a adolescente saiu correndo para a rua e pediu socorro. Uma ambulância do Samu esteve no local e levou Jéssika para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória, e morreu às 3h10.

Segundo a polícia, a causa da morte de Jéssica foi choque cardiogênico - quando o coração não consegue bombear uma quantidade adequada de sangue para os órgãos nobres, causando queda da pressão arterial, falta de oxigênio nos tecidos e acúmulo de líquidos nos pulmões - e trauma craniano.

 

A polícia suspeita que Jéssica tenha sido agredida antes de chegar ao hospital. No entanto, segundo a própria polícia, o médico plantonista que atendeu a estudante afirmou aos policiais que não havia lesão física aparente no corpo dela, e classificou a morte como “morte natural”.

Jéssica Nielsen dos Santos Lacerda, de 15 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira
Jéssica Nielsen dos Santos Lacerda, de 15 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira
Foto: Reprodução

Por nota, a Polícia Civil informou que PMs estiveram na casa após serem acionados para atender uma ocorrência de agressão.  Jean foi preso dentro de casa e levado para o Plantão Especializado da Mulher (PEM). Ele prestou depoimento e foi autuado por injúria, ameaça e agressão na forma da Lei Maria da Penha. Em seguida, foi transferido para o presídio. A polícia não detalhou o que Jean disse em depoimento e nem como teria sido as agressões contra a sobrinha.

No entanto, a família informou à polícia que Jéssika possuía um problema de saúde, o qual será apurado através de exames para que possa concluir se a causa da morte foi pela enfermidade ou se as agressões também contribuíram para a morte dela.  A Polícia Civil aguarda o resultado dos exames, que levam cerca de 30 dias para serem concluídos.

Com informações de Ruhani Maia

Ver comentários